segunda-feira, 13 de agosto de 2007

Fim-de-semana # 11

Bem vamos lá ver se consigo escrever tudo e não me esquecer de nada…

Sem estar à espera este fim-de-semana foi pródigo em histórias e episódios… E todos eles davam grandes histórias…

Sexta-feira: Lux aniversário do Franjoso, DJ Al no bar e Vargas na pista… Estava tudo vazio… Mesmo. De tal forma que eu e a Carla, na pista, começamos a dançar colados a um pilar para fingir que estava cheio e mais parecido com o ambiente que gostamos… LOL… Mas foi giro. Eu e a Carla acabamos sempre por ter as conversas mais parvas e tontas deste mundo. Bebi um vodka tónico, duas imperais e um apontamento mínimo…

Sábado. Acordo eléctrico e apenas dormi 5 horas. Não entendo… Preparo 3 mochilas para o dia todo. Uma para o ginásio, outra para a praia e uma última com a muda da roupa para o jantar. Isto porque o plano era: quando viesse da praia ia tomar banho a casa do PM e seguíamos para o jantar. Plano concretizado.

No entanto deixem-me contar o filme que foi fazer a mala com a muda para a noite. Pois como não consegui decidir o que queria vestir à noite (é dramático decidir o que vestir quase com 12h de antecipação…) optei por fazer uma mala preparada para qualquer opção: 5 T-shirts, 3 pares de ténis, duas calças de ganga e 3 camisolas. Juro…No entanto só levava uns boxers e um par de meias. Lol… Parecia que ia de férias. Não imaginam o tamanho do saco.

12h10 - aula de Attack com apenas 7 pessoas. O delírio. Acho que gritei mais que nas aulas normais. Foi o disparate pegado. Nessa noite tínhamos (eu mais PM) um jantar em casa do Jorge. Antes de ir para a praia passámos pelo Sá. Compras: 1 garrafa de vodka, 6 de vinho tinto do Alentejo porque diz que são mais leves e quase dois quilos de limas. Foram boas escolhas.

Regressando à tarde de sábado: Ambas as viagens feitas de carro foram delirantes. Para o Meco cantámos quase todas as músicas dos ABBA. A loucura e entrega às letras das canções foi tanta que íamos ficando roucos. No regresso foi a vez da Eurovisão. Cantámos dois álbuns inteiros só com os melhores momentos dos 50 anos de Festival, Uma verdadeira aula de história… Conclusão: o PM chegou a Lisboa agoniado e mal disposto. LOL… Mesmo!

O jantar em casa do Jorge foi 5 estrelas. Calmo. Com óptima comida (uma massa genial), boa companhia, boa disposição, bom vinho… Após o jantar tive de sair para ir tratar de uns assuntos rápidos. Só sei que passados 15 minutos, e sem saber ler ou escrever, estava enfiado no Bric a falar alegremente com um “ser” brasileiro enorme, com uns 150 quilos, com uma peruca imensa preta e vermelha e que tirava chupa-chupas das mamas.… O PM encostado à parede cheio de medo… Eu sei lá porquê socializava… LOL… E tanta gente feia… Mas tanta que metia dó e nem conseguia olhar… Sei que nesse “desvio” na noite bebi um rosé maravilhoso e vi uma casa linda de morrer, onde fui muito bem recebido.

Regressados ao Bairro vamos um pouco ao Frágil.. A meu ver algo vazio, embora a entrada tenha sido algo complicada. Ainda tivemos de puxar pelos galões. Ainda para mais era o Pedro Ricciardi a pôr música e realmente eu não morro de amor por ele. Depois casa algo bebidos… Mas não vomitei e consegui dormir sem andar à roda! O orgulho

Domingo acordo e tenho uma sms do Jorge a perguntar se queria ir à praia. Ainda tentei falar com o PM e o XLR8 mas como não estavam disponíveis lá fui para a praia. Foi o melhor que fiz… Cheguei perto das 16h e fiquei na conversa com ele e o Miguel até às 17h30. A essa hora eles foram-se embora e fiquei sozinho. Agarrei no Ipod e tive uns momentos como não tinha à muito. Não sei se foi do cansaço acumulado, da ressaca, da música escolhida, da temperatura, das cores à minha volta, do vento… Sei que relaxei brutalmente. Só faltava o mesmo rosé da noite anterior e tinha sido divinal. Ficou-se no mágico…
Sei também que me fartei de pensar em tudo e mais alguma coisa. Conclusões: nenhumas!! É sempre assim… De qualquer forma aqueles minutos fizeram-me muito bem. É que por uns 4/5 minutos a cabeça parou… Raridade…

Chego a casa. Tomo banho. Fiquei com vontade de sair. Ligo ao PM que estava a ressacar. Pergunto - “Indiano connosco?”. Resposta: “Sim”… Lá fomos cumprir a tradição dos domingos. O jantar muito simpático coiso e tal. Comi que nem uma besta. Agora bebo cerveja como se fosse água (o que tenho de ter cuidado). Casa perto das 23h. Mudo a areia das gatas. Meto roupa a lavar. Quando ia cozinhar os bifes de peru (sem qualquer vontade) vejo que ainda estão congelados e atiro-os novamente para dentro do frigorífico. Mas depois com remorsos de não cozinhar nada para levar como almoço para o call-center durante a semana, corto umas 5 batatas e atiro-as para dentro de uma panela com água ferver. E que vou eu comer a semana toda? Atum com batata cozida… LOL… Não juntei mais vegetais porque não tinha nada congelado.

No entanto encontrei no meu congelador as calças de ganga que têm a pastilha elástica… LOL… Tinha-me esquecido delas. Mas também lá continuam. Não tinha pachorra para trabalhos manuais…

E enquanto as batatas cozem o que vou fazer? Aparar os pêlos do peito e outros mais tímidos… LOL… Conclusão hoje estou cheio de comichão no peito. ODEIO ISTO… Mas prefiro-os ver mais curto, definitivamente. Mas o mais curioso é que só tenho comichão no peito… Mais abaixo nada. Terei ficado frígido?

Um fim-de-semana em cheio né?

Ass: Gattaca

Sem comentários: