segunda-feira, 11 de junho de 2007

Perguntas # 2

É curioso como as coisas acontecem…

O texto anterior foi escrito algures a semana passada. Numa noite de insónias. Coloquei o texto aqui no Clube de madrugada. Passados alguns minutos retirei-o. Achei que era cedo de mais coloca-lo à vista (e continuo a achar que é cedo). Mexia comigo e provavelmente ia mexer com outra pessoa. Continuo a achar que é cedo, mas agora teve mesmo de ser.

Não esteve visível mais de 5 minutos. Não pode!

Passados alguns dias a dita pessoa mete conversa comigo no msn. E escreve uma indirecta a dar a entender que tinha lido o referido texto. Fiquei de rastos... Não queria que tal tivesse acontecido por todos os motivos e mais alguns. Por mim. Por ele. Pelas situações que iriam surgir.

Chegamos ao dia de hoje. E no texto sobre as minhas compras surge um comentário. Foi um murro no estômago quando li.

“ Quanto tempo demora a passar a dor que tenho no coração?
Quando parares para pensar em todas as coisas boas que antecederam a dor no coração, e aquilo que aprendeste com a dor no coração

Quando me passa a vontade que tenho em chorar?
Quando chorares tudo o que tens a chorar e chegares à conclusão que não vais ficar mais insensível, mas que essa vontade de chorar te fez crescer...

Quando vou conseguir andar para a frente?
Quando parares de achar que não consegues andar para a frente, ou que estagnaste...

Quando me vou sentir seguro?
Quando te entregares a alguém, mas aprende primeiro que a imagem é 1/18 avos daquilo que realmente está à tua frente, dá uma hipótese a ti mesmo, fecha os olhos, ouve e se gostares, abre os olhos e vê, a pessoa vai ser 1/2 daquilo que queres.

Quando vou ficar convencido que tomei a melhor decisão
Quando deixares de te arrepender dos teus erros, na altura foi a decisão que tomaste, porque em consciência e dada a tua formação enquanto pessoa achaste que era o melhor, porque foi apenas a melhor decisão.

Quando é que vou ter alguma paz?
Quando olhares para um dos teus gatos e pensares que se a paz deles residisse no facto da tua presença, a vida deles seria uma tormenta. Eles acham a paz nas graças diárias que a vida oferece.

Quando vou parar de chorar cada vez que tenho certos pensamentos?
Quando os aceitares e os resolveres.

Quando é que as memórias vão ficar arrumadas na gaveta certa?
Quando arrumares todas as gavetas, para poderes ter espaço na gaveta certa.

Quando é que vou começar a acreditar num futuro mais risonho?
Quando parares de te lamentar pelo presente (aparentemente) cinzento.

Quando é que vou para olhar para certas coisas e não ficar triste?
Quando aceitares os outros da mesma forma que gostas que te aceitassem a ti, com os seus defeitos e qualidades.

Quando é que acerto no corte de cabelo?
Sem resposta... keep trying lol

Quando vou conseguir...
Quando acreditares em ti...

"Árvores! Não choreis! Olhai e vede:
- Também ando a gritar, morta de sede,
Pedindo a Deus a minha gota d´água!"

Não sabia onde havia de comentar, como o post que deu origem ao comment foi apagado, 'posto' aqui na esperança que também este comment seja apagado, esta mensagem é essencialmente para ti...
Sorri!

Ass: Estrela do Mar”


Reconhecem alguma coisa? A/o Estrela do Mar pegou no que eu tinha escrito e acrescentou… Afinal mais uma pessoa leu o texto! Que raio de 5 minutos...

Sobre o comentário d@ Estrela do Mar nem sei que dizer… Sem palavras! Só sei dizer: obrigado. E dar o devido destaque… Desculpa não o ter apagado como o “pedes”. Gosto de guardar as coisas boas.

Certo, certo (já estou como o do perfeito, perfeito) é que o Clube continua a mexer na minha vida. E realmente o que fazemos tem sempre implicações na nossa vida. Não há volta a dar. O que fazemos hoje volta sempre para nós. Pode demorar. Mas volta! E porque raio tenho eu de acreditar nisto?

É tudo tão estranho…

Ass: Gattaca

Sem comentários: