terça-feira, 14 de novembro de 2006

Aniversário 32 # 3

E cá vai o tão aguardado relato da festita de aniversário, que aconteceu no passado dia 11.

Como sempre, decidi à última da hora fazer uma pequena reunião de amigos. Depois de muita indecisão o encontro ficou marcado para a minha casa a partir das 18h. Refira-se que grande parte do pessoal só chegou depois das 21h. The usual, mas sem problemas

Cá vai o diário:

Sábado

01h – Chego a casa da rádio. Só consigo adormecer perto das 04h.

10h45 – Acordo. Passados 15m estava a ligar para o cabeleireiro onde costumo ir cortar o cabelo para saber se podia lá ir dar um salto para ser penteado. Ia ter uma festa e queria estar giro. “It’s My Party and I Cry if I want to…” Tinha espaço. Às 11h30 já estava em Linda-a-Velha.

12h – Em casa da mãe para o almoço de aniversário. Correu bem, sem ser nada de especial. A influência do meu sobrinho continuou e o meu bolo de aniversário teve de ser pensado em função dele. Giro não é? Conclusão tive apagar as velas de um bolo com o Winnie the Pooh. Mais ridículo ainda: de todas as festas de aniversário dos meus 32 anos, apenas existe uma única foto. Imaginem do quê? Acertaram todos aqueles que disseram “do bolo do ursinho”!

16h – Saio de casa da minha mãe e sigo para Lisboa. Como o meu carro estava na oficina a arranjar consegui um Hyundai Matrix de empréstimo, o que significava que tinha muito espaço para dar boleias ao pessoal. Passo por casa do PM, onde acabo por ficar algum tempo.

17h00 – Estou a passar por casa da Ziggy para a apanhar.

17h15 – Chegamos a casa carregados de compras, já que a Ziggy fez o favor de passar pelo supermercado para termos papitas para a noite. OBRIGADO ZIGGY!

A partir daqui, muito sinceramente, perco o fio à meada no que diz respeito às horas.

Pois que PM, Ziggy e Dudu foram os primeiros a chegar a ajudaram-me a montar a festa. Eles fizeram quiches, sandes e outros aperitivos. Eu limpava o areão das gatas, tirava roupa do estendal, montava a mesa, arrumava cadeiras e afins. A música vinha do Ipod do Dudu que preparou uma playlist especial para a festa. A mesma pessoa preparou também uns fabulosos Cosmopolitans. Sim o Dudu descobriu a receita e os ingredientes certos. São A bebida!

No meio de tudo isto tive de ir ao supermercado comprar mais limas, porque instalou-se o medo de elas acabarem… Quando voltei trazia: limas, pipocas e Martini.

Entretanto chegam dois amigos meus… Uma dupla imbatível e imprescindível. São a boa disposição em pessoa, neste caso, em pessoas.

(um pequeno à parte. Acabei de me lembrar que existe mais uma foto do meu aniversário que está no tlm do PM. Um pequeno devaneio meu. Estava eu a tirar os lençóis do estendal quando começa a dar uma música que amo dos Saint Ettienne Daho. Pego num lençol e dá-me a louca. Soltei a Diva que existe dentro de mim).

Regressando à festa. A esta altura do campeonato já se via alguma confusão em minha casa. Alguns minutos mais tarde chega outra dupla: Xlr8 e Phred. Este último é um excelente cozinheiro (mesmo) e faz um apple croumble (ou lá como se escreve) de comer e chorar por mais. Chegaram atrasados porque traziam em seus braços mais uma criação destas acabadinha de fazer.

Mais Cosmopolitans para todos e mais algum vinho tinto. E pipocas, e tostas, e queijos, e patés, e sandes, e batatas fritas, e quiches, e amendoins, e cajus, e, e, e…

Alguns instantes mais tarde chegou a dupla responsável por uma das melhores sangrias que bebi na vida. E assim foi dado descanso aos Cosmopolitans e principalmente ao barman de serviço. O profissionalismo era tanto que até traziam um alguidar. UM MONSTRO. Certo é que tivemos bebida para o resto da noite…

Ainda mais tarde chegou a Carla, saiu o Dudu, chegou o Ray assim como Isabel e Tope. Um verdadeiro corrupio.

E a esta altura apareceram também os cigarros franceses… Aumentou o caos.

De repente vou procurar o meu Ipod e não o encontro. Viro a casa ao contrário e nada. Meto na cabeça que ficou no carro que estava na oficina. Logo o mais certo era ser roubado. Tento seguir em frente sem pensar muito para não estragar a noite.

Momento da noite: ouvi um miar muito estranho na rua. Um miar aflito. Estranhei mas não liguei muito. Passados alguns minutos comecei a procurar uma das minhas gatas que é bastante sociável e esteve a festa toda na sala. A outra escondeu-se e ponto final. Problema: não havia sinais da gata. PÁRA A FESTA. Começou tudo a procurar a gata em casa. Nada! Alguns de nós viemos para a rua para a procurar. Nada… Os minutos passaram e nada. Começava mesmo a preparar-me para o pior. Até que gritam da janela: ENCONTRÁMOS A GATA! Não perguntem como, mas ela entrou para um armário com porta trancada à chave.

Subimos e recomeçou a festa. E viva o álcool.

E começaram as conversas parvas, a música alta, os disparates, os encontrões, mais cigarros franceses, mais bebidas, mais gargalhadas, mais comida e por aí fora…

Muita coisa especial aconteceu que não consigo aqui contar. Ficam gravados na minha memória. E energias mais que positivas. OBRIGADO AMIGOS!

04h – Saem os últimos convidados. Tento arrumar algumas coisas e vou-me deitar feliz. Mesmo… Isto sem antes ligar a máquina da roupa para aproveitar os dias da sol. LOL…

Domingo

12h – Acordo. Fico na ronha.

13h – Começo a arrumar a casa e a deitar-me. Estive nisto durante duas horas.

15h15 – Falo com Dudu e combinamos ir a Balance nas Amoreiras. A aulas era às 16h.

15h45 – Estaciono o carro perto da Blockbuster e sigo para o ginásio.

17h – Arrasto-me para fora do estúdio onde decorreu a aula. E cheio de dores. Mas soube lindamente. Quero sem qualquer dúvida repetir a dose. Vamos às Amoreiras comprar cremes.

18h30 – Casa para fazer mais máquinas de louça e massa para os almoços da semana

20h – Vou a casa do Xlr8 e Fred jantar com eles. Copos de vinho, comida vegetariana, queques de chocolate caseiros e cigarros franceses…

23h45 – Regresso a casa. No dia seguinte começava novamente a rotina…

Foi um fim-de-semana fabuloso. E uma festa que veio afastar os fantasmas da festa do ano passado.

Ass: Gattaca

Sem comentários: