segunda-feira, 13 de março de 2006

Pensamentos, Dúvidas e Comentários # 43

Há vezes gostava de saber como funcionam as empresas nos outros países. Sério que gostava. Gostava de saber de uma vez por todas se realmente funcionam de modo diferente e mais profissional do que as empresas nacionais, ou se não passa tudo de mais um mito urbano.

Isto tudo, porque cada vez que vejo publicidade da empresa na qual trabalho em part-time e dizem que para mais esclarecimentos os clientes devem contactar o call-center, parto-me a rir. Sim porque eu se calhar ainda sei menos do que eles. Sim, porque formação dos novos produtos e afins é zero. Dizem-nos assim: “leiam!”, o que é sempre simpático. Só que para lermos temos de perder tempo, e se perdemos tempo levamos nas orelhas dos supervisores porque atendemos menos chamadas. Só que também não podemos dar informações erradas aos clientes e para isso é bom estarmos informados. É o regresso da pescadinha de rabo na boca

Outra situação interessante é quando inventam novas campanhas e depois esquecem-se de testar ou ver se o que inventam é compatível com a prática. E depois é ver tudo a dar erros e problemas.

E para mim o mais estranho ainda é ver as pessoas com altos cargos a cometerem erros que não deviam acontecer por serem básicos. E se eu me apercebo deles e não sou ninguém, porque é que eles não se lembram? Porque não são humildes ao ponto de querem aprender e reconhecer que se calhar precisam de ouvir outras pessoas?

Certo é que o lugar de assistente de call-center é super ingrato. Somos a voz e cara da empresa, mas dentro dela ninguém nos dá valor ou importância. Estamos enfiados numa cave e os funcionários “oficias” olham-nos de lado como se fossemos menos que eles. E na maioria das vezes somos bem mais importantes.

Será que lá fora também é assim?


Ass: Gattaca

Sem comentários: