segunda-feira, 13 de fevereiro de 2006

O gajo que não se decidia...

A cá vai polémica...

Lamento mas não gostei do tão falado e premiado “Brokeback Mountain”. Nada mesmo... Acho que nem as fabulosas prestações dos 4 actores principais conseguem salvar este filme.

A música irritou-me, as tão belas paisagens do filme são apenas ¼ da duração do filme, existem várias cenas que nada adiantam à história, não senti qualquer intensidade nos sentimentos que se pretendem ilustrar (e não me venham com a desculpa da “contenção das emoções” porque não é este o caso), de tão parado que é quase adormeci e podia continuar esta lista...

No entanto existem dois aspectos muito mais importantes para o facto de não ter gostado do filme:

1 - Não entendo de onde nasceu o “amor” entre os dois cowboys, pois apenas vi uma necessidade sexual que depois origina um possível namoro numa época onde era bastante difícil arranjar parceiro, onde a homossexualidade era proibida e onde as pessoas eram mortas por esse motivo. E mais uma vez não vi qualquer emoção nesta relação... Começou e pronto... Tão vazio quanto isto. Acho mesmo que se o espectador não soubesse antes o argumento do filme ia ficar super admirado com o desenrolar da história. Porque pelas imagens mostradas antes eles podiam ter-se tornado em namorados como nos melhores amigos ou partirem e ponto final.

2 – Tudo o que é importante no desenrolar da história acontece aos soluços e surge caído do céu. Sem qualquer ligação ou mesmo sequência. E agora pum acontece isto. Depois ficamos meia hora a remexer no mesmo. E sem ninguém pensar acontece isto. E mais meia hora no mesmo... Cansou-me.

E estou do lado do realizador, argumentistas, produtores e actores quando apelavam às audiências para não resumirem “Brokeback Mountain” a um filme gay... Porque realmente é tudo menos isso. Alias acho que é a história de um gajo complicado e pouco pratico, que não consegue nem se esforça por lutar contra os fantasma do passado e que por isso deixa a vida passar ao lado.

Estava à espera de bem melhor. Tenho saudades dos tempos de “O Banquete de Casamento”.

Ass: Gattaca

PS1 - De qualquer forma ainda acredito que este possa ser um daqueles casos "primeiro estranha-se e depois entranha-se". Vamos aguardar para ver...

PS2 - Se querem uma fabulosa historia de amor gay (e sem qualquer cena de sexo), vejam "It's My Party". Esse sim é um grande filme sobre uma relação homossexual que não acaba bem. A este filme é impossível resistir e onde a emoção e todo o tipo de AMOR (homo, hetero, entre amigos/as, mãe/filho, entre irmãos) está bem à mostra.

Sem comentários: