quarta-feira, 28 de dezembro de 2005

Natal #12

E cá vem a primeira parte da crónica tradicional desta altura do ano. Crónica essa em que relato os meus dois dias de Natal, entenda-se 24 e 25 de Dezembro. Este ano houve algumas alterações, mas mesmo assim foi o stress e o caos foi generalizado.

Dia 24 de Dezembro

09h – Acordo sobressaltado. Já passava da hora... “Merda, tinha de ser logo hoje”. Para mais tinha de fazer a barba. Como a fiz a correr fiquei com 3 cortes na cara. Seria de esperar... Ia ficar lindo nas fotografias e para mais a sensação de desconforto era muita.
Entro no carro e assim que arranco a luz da gasolina acende-se. Lindo!!! Não tenho tempo agora para ir a uma bomba.

10h às 16h – Atendimento. Gente parva e estúpida com perguntas e dúvidas completamente idiotas. Nunca tinha tido um dia tão complicado e surreal. As chamadas não paravam de cair e o ambiente no call-center estava frenético...

16h às 17h – Regresso a minha casa. O carro ainda na reserva, mas as duas bombas pelas quais passei estavam cheias de gente. Não tinha paciência para esperar.
Tomar banho (novamente), mudar de roupa, separar os presentes que iam ser entregues nesse dia. Carregado de saco lá consigo chegar ao carro e casa da minha mãe. Pergunta do momento: será que a gasolina ia chegar? É que a luz não se apagava.

17h30 às 19h – Casa da minha mãe. A gasolina chegou!!!!
Abrir presentes. O meu sobrinho foi o rei da tarde.
Preparar tudo para ir para casa dos meus tios.
Ficou combinado ser a minha mãe a fazer os sonhos, rabanadas e filhozes (será assim que se escreve?).
Todos para o carro. Afinal fomos no carro da minha mãe (que é o meu, já que lhe emprestei o meu e o meu pai emprestou-me outro. Entendido?) porque já tinha a cadeira do meu sobrinho lá colocada. A última vez que tentamos muda-la de carro demoramos 20 minutos a monta-la no sitio. Jurei para nunca mais.

19h30 até 23h – Chegamos a Benfica, com o carro a cheirar a queimado e a deitar fumo... Um delírio. Mas chegámos... E lá saímos os 5 de dentro do carro. Presentes, comida, sobrinho, sacos, casacos...
Este ano o jantar foi calmo. Mesmo muito. Até estranhei. Nada de episódios estranhos ou curiosos. Mesmo assim tinha cuidado cada vez que entrava num corredor novo não fosse o Diago tece-las!
A loucura foram mesmo os cães. No total eram 3 cockers (como sempre eléctricos) e o meu sobrinho. O verdadeiro putedo. Ora era o meu sobrinho a fugir dos cães ora eram os cães a fugir do meu sobrinho. LOLOL. Foi muita lambidela a noite toda.
Viva o peru, vivam os sonhos, vivam as rabanadas, viva a lampreia de ovos, viva o ananás dos Açores, viva o recheio de castanhas do peru, vivam as farófias, vivam as azevias, vivam as broas, viva o pão, viva a água, viva o vinho tinto, viva o dinheiro, vivam os presentes, viva a família tresloucada que tenho, viva a lareira, viva o arroz feito pela minha tia, vivam as fotografias, vivam as sms, viva o meu tio que não se mexe, vivam os brindes, vivam as piadas, vivam os disparates, viva o ladrar dos cães, vivam os gritos do meu sobrinho, viva a árvore de Natal, viva o mega-presépio, vivam as gargalhadas, vivam as piadas parvas, viva o meu Tio Zica...
E durante toda a noite o meu sobrinho fez o que melhor sabia: brincar com os interruptores das luzes. Foi a noite toda a acender e apagar as luzes. Será que vai ser Light-Jockey?

23h à 24h – Regresso a Linda-a-Velha no carro que cheirava a queimado. Conseguimos chegar. Confusão novamente na saída... Mais sacos...

24h15 até 01h25 – Casa do JP. Fui lá entregar os meus presentes e receber as chaves da casa dele para puder ir dar de comer aos gatitos no fim-de-semana já que ia para o Porto. Mais copos de vinho...

01h45 – Estaciono o carro à porta do Fluid para ir continuar a noite. Só que estavam todos atrasados. Como estava cheio de sono adormeci e pedi para o primeiro a chegar me acordar.

02h15 – Acordei com o telemóvel a tocar. FESTA!!! DJ Al a colocar música. Vodka com sumo de maçã natural. Presentes. Bons amigos. Riscos. Risos. Dança. Gargalhadas. Festinhas ao Boris (um cão lindo). Conversas parvas. Enfim... Amizade no seu puro sentido. Mesmo!!!!

06h10 – Feliz fui para casa. Dormir!!! Ou tentar. No dia seguinte tinha mais festas e confusões...

Ass: Gattaca

PS – O dia 25 fica para amanhã...

Sem comentários: