quarta-feira, 28 de dezembro de 2005

A festa do Serginho

Pensava eu que hoje ia relatar-vos o meu dia 25 de Dezembro. Pois enganei-me. Acho que o meu cérebro morreu. Não funciona mais... Pelo menos hoje, nada que uma boa noite de sono não resolva.

Diz que ontem foi a festa de aniversário do Serginho. Ele faz anos no dia 24 (aliás, reparo agora que não coloquei no outro texto a pequena festa que lhe fizemos no Fluid. Afinal o meu cérebro ainda dá os seus últimos peidos).

Dizia então que estava convencido que ia juntar-me às festividades de ontem por apenas alguns minutos. Conclusão, o que era para terminar por volta das duas da manhã acabou depois das cinco. E logo eu que estive quase para me “cortar” à festa...

O encontro foi no restaurante Orange no Bairro. Cheguei já passava da meia-noite e meia, mesmo mas mesmo a tempo de cantar os parabéns. Nem combinado seria tão perfeito! Tive tempo para a fatia do bolo, ganhar um presente do aniversariante (um fio fabuloso, já que ele é designer de joias) e uns copos de sangria.

Depois todos rumo ao Memorial. É verdade!!! Quem diria, lololol... Sei que dei por mim a assistir a um espectáculo de travestis! Que coisa mais linda. Foi o meu terceiro espectáculo. Até tenho uma foto que a prova, mas que ainda está no meu telemóvel.

No Memorial o DJ Al foi o responsável pela música, o mesmo que dizer, BOA música. A isso juntem a companhia da tribo da passagem de ano, alguns aditivos, álcool e muito boa disposição. Quem é que dizia que me ia embora?

Sei que a festa durou até o sol nascer e não pude participar. Sei que eles depois do Memorial foram todos para casa do Serginho para uma espécie de after. Sei que hoje estou completamente de rasto, mas feliz. Sei que realmente preciso de dançar e de ouvir boa música para ser feliz. Sei que preciso dos meus amigos. Sei que preciso de rir e divertir-me. Sei tanta coisa graças a Deus, LOLOL...

Também sei que hoje no call-center foi o caos... LOL... Desgraçados dos clientes. Mas todos foram muito bem tratados, mesmo.
De qualquer forma no final do meu horário estava mesmo a dar o berro. De tal forma que sai e fui dormir para o carro. Foram 15 minutos milagrosos. Coloquei o despertador do telemóvel para as 16h45 e depois segui para a rádio.

E agora aqui estou a contar os minutos para ir para casa dormir e descansar...

Ass: Gattaca

Sem comentários: