domingo, 20 de novembro de 2005

mais um dia, mais um ano...

Digamos que este não foi o aniversário mais fantástico que tive...
Em poucas horas os planos que tinha para os festejos, que não eram nada de especial, foram pelo cano abaixo pelos motivos que mencionei no post anterior.
Nunca imaginei, e que saibam que a minha cabeça imagina coisas muito estranhas, que passasse um dia de aniversário num funeral. Mas lá estive, enquanto no meio de choros e lamentações me davam os parabéns "parabéns e sentimentos".
Levei alguns elementos da família, e um "outsider" (coitado!), a comer um petit-gateau.
Fomos a uma loja de mobiliário.
Fomos fazer uma prova de vinhos.
Fomos ver a árvore de Natal gigante na praça do Comércio, que acabei por não ver porque tinha de ir jantar.
Encontrei uma nota de 50 euros (que vai reverter a favor de um jantar).
Só me deram um dos presentes que tinha posto na lista - uns chinelos, que já têm um buraco da autoria de madame Pucca.
Fui jantar à Casa México.
Fui para casa, demorei horas a regressar, estava um pandemónio na cidade.
Só queria dormir.

Passou mais um dia... e eu mais um ano. É só isso.
Só tenho de me lembrar de para o ano não fazer planos.

Entre os presentes, que eu não tinha pedido a ninguém, saiu-me a Pop Pucca! Creio que é uma mensagem subliminar da minha mãe, que diz "levas o quadro, mas não a levas a ela que eu não deixo"!

Beijos
Ziggy


Sem comentários: