quarta-feira, 23 de novembro de 2005

Elizabethtown

“Vanilla Sky”. “Almoust Famous” e “Jerry Maguire” são alguns dos grandes filmes realizados por Cameron Crowe (curiosamente os últimos). Eu gostei de todos eles… Cada um à sua forma marcou-me. “Elizabethtown” é a sua última aventura… Mais uma marca que me foi posta na passada terça-feira.



É tudo perfeito… A história, os actores, as interpretações, a edição das imagens, as músicas escolhidas para a banda sonora (um dos grandes trunfos do senhor Crowe), a fotografia, as piadas, os clichés, tudo, tudo, tudo…



A premissa do filme até pode parecer algo pirosa: um rapaz recentemente despedido vai ter de viajar até ao interior dos Estados Unidos para ir buscar o cadáver do pai, que mal conhecia. Este rapaz está a passar um mau bocado e conhece uma hospedeira, senhora de si, super inteligente e com as ideias bem organizadas. O que eu dava para conhecer uma pessoa assim! Certo é que os dois se apaixonam…



Se não fosse Cameron Crowe tudo morria aqui. Só que este senhor é um mestre e conseguiu fazer um dos melhores filmes do ano. Ele sabe trabalhar as emoções humanas sem nunca cair em clichés, embora recorra bastante vezes a eles.



Outro dos seus trunfos é são os elencos que utiliza nos seus filmes. Neste tem nos principais papeis Kirsten Dunst (fabulosa e a merecer uma nomeação para um óscar), Susan Sarandon (de arrepiar), Orlando Bloom (que se aguenta muito bem sem recorrer a extremos desnecessários) e um inchadito Alec Baldwin (longe vão os tempos ao lado de Kim Bassinger). No entanto toda a história está povoada de personagens secundárias super bem “construídas”.



Nunca me vou esquecer do não beijo entre as duas personagens principais… Da teoria dos últimos olhares... Da declaração de amor silenciosa de Kristen… Da reunião familiar… Do casamento no hotel… Na pomba a arder… Do mapa de viagem… Das músicas… Da mania de Kristen tirar fotos imaginárias… Do comentário “passamo-nos ao telefone não foi?”…



E no fim saímos da sala de cinema com um sentimento de nostalgia que até assusta. E saímos pensadores… E saímos a desejar viver o mesmo: ir num avião e conhecer uma Kristen Dunst…



Não percam...

Ass: Gattaca

Sem comentários: