quinta-feira, 5 de maio de 2005

Vida de Adulto #3

“Já disse: ela saiu furiosa. Eu continuei deitado. Não dissemos mais nada que valha a pena repetir. Não tem mal. O amor é que é cada vez mais rápido. Sente-se só passar. Não tem tempo para ficar. Ninguém sabe o que está a acontecer, ninguém, nem se tem importância ou não tem importância o ninguém saber o que está a acontecer. Disto tenho a certeza. Voltarei a adormecer e a acordar. Os dias passarão. Ela não voltará. Eu não voltarei. Não vale a pena continuar. Tenho poucas forças Nunca esteve tanto frio assim de repente.”

(em “Vida de Adulto” de Pedro Paixão)

Ass: Gattaca

Sem comentários: