segunda-feira, 28 de março de 2005

escrever blogs...?

Não sei bem quando é que começou esta reflexão sobre a existência dos blogs, mas há umas semanas que não me sai da cabeça uma frase que se comentou aqui na minha "tasca da cultura": "escrever blogs? Eu só escrevo se me pagarem! Era o que mais faltava estar a escrever blogs".
Sei que este comentário tem por base uma crónica de uma revista brasileira em que o jornalista dizia que não escreveria num blog, simplesmente porque só escreve por dinheiro.
Alguns dias depois ouvi, de raspão na SIC Mulher, alguém dizer que vivia para "escrever" e que tinha ideias em qualquer sítio e às vezes sentada num café aproveitava as toalhas de mesa de papel para anotar algumas das suas ideias para desenvolver mais tarde.
Escrever é um exercício da mente. Quem escreve, escreve à mão, num computador ou numa máquina de escrever antiga. Quem tem gosto por fazê-lo. Quem tem ideias a fervilhar. Há quem o faça por gostar de exposição pública, para apresentar justificar opiniões e posições… e muitos para ganhar dinheiro. Claro que todo o jornalista escreve para ganhar dinheiro. Alguns vão mais além e dedicam-se a obras literárias.

Mas voltando à minha reflexão…
Eu escrevo um blog, quase todos os dias, tal como escrevia crónicas quando tinha prazos para cumprir. Não pude deixar de ficar alerta com aquela frase. "Blog… por dinheiro"? Não vou comentar a crónica que esteve na base deste comentário, porque não a li… mas comento este comentário…
Que comentário ridículo! Tens a cabeça preguiçosa para escrever? Escreves sempre sobre assuntos que te rendem tostões? Ou apenas não sabes o que escrever e escondes-te atrás destes comentários? De ti poucas linhas li, é certo, e o que li não gostei. Se calhar a tua melhor terapia seria escrever para aprender. A teoria é muito bonita, mas também convém ter a prática. Não sei quem daria os tostões pelas tuas sábias palavras.

Eu sou blogólica assumida e não tolero comentários de gente preguiçosa. Eu sei que há pessoas que nasceram para fazer contas e não tem jeito para as letras... mas alguém que está ligado à escrita de alguma maneira jamais poderá fazer um comentário destes.

Eu estou sempre a pensar sobre assuntos. Às vezes não escrevo por não ter tempo ou não publico os textos por achar que os assuntos não são adequados ao blog, porque podem ser ofensivos, porque podem ser permissivos. Há textos que estão em papel, textos em formato digital, tópicos de ideias escritos na parte de trás da conta do supermercado, na última folha de um livro, pelos mais diversos formatos. Há textos que são uma imagem, há imagens que se transformam em texto. Há dias inspirados, há dias sem inspiração nenhuma, que são apenas reticências.
Esta é a liberdade do blog. Escrever quando apetece, sobre o que apetece, sem limites ou fronteiras. Pode ser um diário, um universo alternativo, um esconderijo, um relatório das nossas ideias. O que quisermos!

Beijos
Ziggy

Sem comentários: