quarta-feira, 9 de fevereiro de 2005

A Telha

Estou com uma telha do tamanho do mundo... Só me apetece desaparecer... O dia de hoje teve informação a mais. Muita mesmo. E eu com pouca paciência para uma série de situações!

Na revista o ambiente está uma merda. A editora adjunta só se queixa. Sério. Não tenho de suportar os problemas dos outros. Se eu não me queixo porque tenho de passar a vida a ouvir as merdas dos outros? Para mais nem ela sabe o que é falta de dinheiro porque a mãe lhe paga a puta da casa!!!!! Estas situações revoltam-me. Tudo bem que todos devíamos ganhar mais, mas então não se queixem! Depois vai comprar garrafas de champanhe de 25 euros. Não faz sentido...
Na revista o dinheiro cada vez é menos e por isso o director decidiu cortar despesas e contratar cada vez menos colaboradores. Assim somos 3 pessoas que temos de escrever a revista toda. Estou farto daquele buraco sem janela. O meu interesse por aquilo é nulo... Zero. Não tenho qualquer motivação, nem me acho um gajo que escreva qualquer coisa de jeito. Hoje pensei muito seriamente em deixar a revista. Definitivamente. Despedir-me. Acabar com aquilo.

Chego à rádio e o ambiente está super pesado e carregado de más energias. Todos reclamam, todos se queixam, todos fumam num local onde não abre uma única janela, estão todos doentes... São colegas egoístas que só pensam neles próprios e nos seus problemas e músicas. Só me apetecia fugir.
Depois computador para trabalhar só há perto das 20h!! Só podem estar a brincar!!! Tenho de andar a pedir aos meus colegas para me deixarem espreitar as notícias e afins!!! Para juntar a tudo isto, odeio o meu horário laboral aqui na rádio... Odeio ficar a trabalhar de noite... Só me mantenho pelas horas nocturnas. Só que se pedir para alterar perco cerca de 40 contos no ordenado.

E aqui está o grande problema: o ordenado da revista dá-me jeito porque me paga a renda da casa. Se deixar a revista fico com a corda no pescoço. Só que deixando este emprego fico apenas com a rádio onde só entro às 17h. E odeio começar a trabalhar quando todas as pessoas estão a ir para casa. Sempre podia tentar alterar o meu horário na rádio e passar para mais cedo, só que assim para além do ordenado na rádio ainda perdia uma série de euros das horas nocturnas. Fazendo contas por alto seria qualquer coisa como 150 contos a menos no ordenado total.

Odeio isto. Odeio chegar aos 30 anos e continuar a fazer contas e não ver qualquer luz ao fundo do túnel. Odeio não saber o que fazer... Que faço com 170 contos que é o meu ordenado base na rádio??? Passados 10 anos de rádio é isto que ganho... Voltar para casa dos pais???? Dividir casa com alguém??? Porque é tudo tão preto? Porque não sei para onde me virar? Porque não consigo agir? Porque sou tão indeciso?? Porque não consigo fazer nada...

No meio disto tudo eu e o Oxy voltámos a ter uma conversa séria sobre a nossa situação. Só veio piorar o meu estado de espírito. O futuro não parece risonho. Nada mesmo... Porque não é ele de Lisboa ou eu do Porto? Porque nos havíamos de ter cruzado e entendido até ao momento? Porque não tem ele qualquer defeito daqueles que me faz fugir? Porque saio eu à meia-noite da rádio e nem consego estar com ele antes da 01h? Porque é tudo tão difícil????

SOCORRO!!!! Só me apetece chorar...

Estou tão farto disto tudo...

Ass: Gattaca

PS - E no meio disto tudo o que me deixa realmente fodido comigo próprio é não fazer nada de nada. É saber apontar os erros e ver onde estão os problemas e depois não tomar qualquer decisão ou atitude que realmente mude as coisas... E volto a repetir os mesmo erros que dizia que ia tentar não cometer. Só que não estou a conseguir. E no meio tudo disto a grande revolta é comigo. Não com o mundo. Quem está errado sou eu, só pode!

Sem comentários: