quarta-feira, 23 de fevereiro de 2005

slow motion/speed play partes II

Já vos tinha contado que tinha de esperar mais 15 dias... não interessa a razão. O que aqui interessa é que eu tinha de esperar. E enquanto esperava alegremente, pensando "agora é que vai ser", caiu-me o mundo em cima. Ou melhor, a engrenagem da coisa entrou em pausa, embora a realidade em si própria continue a andar.
A contagem decrescente para os 15 dias terminou prematuramente porque a meta deixou de existir.
Perguntaram-me se eu estava revoltada? Estou!
Perguntaram-me se eu estava chocada? Estou!
Perguntaram-me se eu estava triste? Estou!
Perguntaram-me ... e agora? Não sei!
Perguntaram-me... há novas metas? Não sei!
Perguntaram-me... o que vais fazer? Nada!
Vou refilar, porque me está nas entranhas.
Vou refilar até que a voz me doa.
Vou refilar porque me fizeram acreditar numa coisa que não existia. Por tardar a dizer-mo. Por omitir. Por querer voar alto e depois não ter força para me levar nas asas.
E para mim é preferível ir enfrentando a realidade como ela é, do que ter de encarar tudo em 24 horas. Custa-me menos. E tomo muito menos comprimidos.
Para encarar a coisa em 24 horas, tenho de me encher de calmantes para não desatar à estalada, cometer algum crime de maior violência ou virar madalena arrependida.

Os dias vão andando, até agora, em slow motion. Daqui para a frente em speed play com todas as partes negativas em realce. Já sei como é.

Beijos
Ziggy

PS: Sim Gattaca, já sei o que me vais dizer... não digas... já sei!

Sem comentários: