quarta-feira, 19 de janeiro de 2005

Uma viagem ao Porto #1

Sexta-feira, 14 de Janeiro

Conforme o combinado o JP foi-me buscar a casa perto das 17h15. Destino: Porto. Estava previsto chegarmos perto das 20h30, mas devido ao meu pânico com a condução dele chegamos 30 minutos mais tarde. Também é verdade que saímos mais tarde que o previsto de Lisboa (estava a fazer a mala), e parámos duas vezes porque fiquei com xixi até à testa. Diga-se que na minha última ida à casa de banho tive a companhia telefónica do Je_Bois. “Porque é que estás cheio de eco?” perguntou-me ele. Resposta: “Porque estou na casa-de-banho”. “AÍ QUE NOJO... VOU DESLIGAR!!!” gritou ele... Já era tarde. Já tinha feito o meu xixi.

Chegados ao Porto, fui directo para casa dos meus amigos Nu&Ca. Era lá que ia ser o meu poiso nesse fim-de-semana. Já pronto para entrar na banheira recebo nova chamada do Je_Bois, que me ia dar boleia para a fantástica casa da Tia Loura... “Je_Bois, dá-me 5 minutos que estou a entrar na banheira. Dá-me tempo. Acalma-te por amor de Deus”, digo eu super religioso. Do outro lado ouço um Je_Furieux. “Roubaram-me o carro! Roubaram-me o carro” dizia-me ele ao gritos pelo telemóvel. O fim-de-semana prometia! No final apenas tinha sido rebocado. Lá arderam mais 60 euros e duas linhas da minha caixinha...

Conclusão: devíamos estar em casa da Tia às 21h, mas apenas aparecemos perto das 22h30. Não houve grande problema porque a cozinheira também se tinha atrasado e por isso estivemos todos a socializar. Álcool, conversa, cigarros franceses, gargalhadas, mais linhas, apalpões, gritos, perguntas e respostas preencheram o tempo.
Na casa da Tia estava também o A., que eu já conhecia, e o B, filho do JeB. Mais tarde juntou-se também a mãe da Tia.

Sobre o jantar só posso dar elogios à Tia. Sim porque ela esteve quase sempre na cozinha a orientar a cozinheira. A ementa consistiu num creme de legumes, seguido por um folhado de frango com um molhe especial acompanhado por arroz especial e uns vegetais salteados. Lamento não saber os nomes correctos mas nunca fui dado a coisas muito finas! Simplesmente divino...

Finíssimos também eram os copos onde bebemos um Kirch Royal, um bebida com Champanhe e Creme de Cassis, antes do jantar. “Estes copos lindíssimos. São da Habitat não são? É que partem-se com muita facilidade” comentou o JeB. Resposta pronta da Tia “São sim senhor. Mas atenção porque já foram descontinuados”. Passo a explicar que os copos deviam ter perto meio-metro de altura, e não estou a exagerar!!

Nesta altura a moca já era tão grande (refira-se que a Tia estava completamente sóbria e o A. só tinha dado alguns bafos nos cigarros franceses) que alucinei a noite toda com a porra dos copos. Só rezava para não partir nenhum. Para ajudar à festa a Tia decidiu usar um daqueles jarros para deixar o vinho respirar. (Definitivamente não tenho vocabulário de gente fina). Eu só via o dito jarro a bater num dos copos e ambos partirem-se... Felizmente nada disso aconteceu. E tudo correu às mil maravilhas. Nada sujo, nada partido, nada entornado.

De referir que durante todo o jantar foram vários os comentários irónicos e bem dispostos trocados entre os participantes. Um verdadeiro exercício de inteligência e descontracção. Senti-me muito bem mesmo!!! Sem maldades ou pressões.

Quanto à casa da Tia, embora esteja longe do seu aspecto final, é para lá de acolhedora. As paredes estão cheias de arte pintada pela própria. E caros sócios, a senhora tem mmmmuuuiiittttttoooo jeito para a coisa. Qualquer dia ainda lhe vou pedir um quadro seu para a minha colecção pessoal...

No final do jantar juntou-se a nós um casal amigo da Tia. Por causa do B, o JeB e o A. foram para casa. Atenção! Não pensem que o JeB e o A. são namorados. Nada disso. O coração do JeB palpita por uma exportação galega!!!

Assim lá fui eu, a Tia e o dito casal (bem simpático por sinal. O seria que eu apenas via amor e paz em todo o lado? Hum... Eles eram mesmo simpáticos) para o Estado Novo. Aqui nada de especial a relatar, a não ser as más bebidas servidas nos bares e a péssima música... Não se pode ter tudo...

Perto das 05h chegava eu a casa. Estava esganado de fome. Pelos vistos no Porto não existe nenhum restaurante que venda pão com chouriço depois das 04h. Por isso decidi fazer um assalto à cozinha do Nu&Ca. Que comi encontrei eu então e comi: cereais secos, tostas secas, dois mini-kit-kats e para empurrar tudo isto água fresca!!!!

E estava pronto para ir dormir porque no dia seguinte tinha de acordar perto das 11h e já eram 6h...


Ass: Gattaca


PS1 - Fica prometido para breve a continuação do relato desta “Viagem ao Porto”...

PS2 – Quando vim ver se o texto tinha ficado bem colocado no blog fui o visitante 11.111. Não é lindo???

PS3 – O Pedro Efe está doente em casota, mas manda beijos à malta do clube e diz que sente a nossa falta. A direcção do Clube deseja-lhe as melhores rápidas...

Sem comentários: