sexta-feira, 26 de novembro de 2004

A sorte bateu-me à porta?

Não sei! Talvez. Pelo menos neste momento. Ia a passar na rua, que única e simplesmente estava iluminada pela luz da lua, já que os candeeiros não estavam acessos numa noite cerrada, e encontrei uma nota de 20 euros, quando ia a tentar desviar-me de uma bosta de cão.
Nunca tinha encontrado quantia tão avolumada.
Terá a nota caído de um qualquer bolso de uma peça de vestuário que estivesse pendurada no estendal? Talvez, estava ainda molhada.
No meu civismo e boa educação, pensei duas vezes. Olhei para os lados. Levo a nota? Oh, não a vou deixar aqui. Qualquer um a levaria sem a mínima hesitação. Eu não. Estive a pensar primeiro. Depois andei com a nota entalada entre a mão e a pega da canadiana. Fui andando devagar, pensando se seria sorte ou coincidência? Não quero abusar da sorte, mas o que são estes 20 euros no meio da minha meada de azares? OK, dá para comprar alguns presentes para os animais cá de casa e enchê-los de mimos!

Beijos
Ziggy, 20 euros mais rica!

Sem comentários: