sábado, 7 de agosto de 2004

As Férias! (Parte 3)

E cá estou eu na rádio. Sábado, 7 de Agosto, pleno Festival do Sudoeste. Neste momento tocam os Zero 7. Já vi estes senhores este ano no Coliseu dos Recreios e muito sinceramente não sou grande apreciador. Gostei muito do primeiro álbum, mas estes “When It Falls” deixa muito a desejar. Só que não é disto que quero falar...

Finalmente acho que é o momento de falar da última parte das minhas férias, que correspondem à segunda semana. Foi péssima! Tudo porque aconteceu algo que já era esperado há muito, só que nunca estamos preparados para quando realmente acontece. Queria falar sobre isto sem ser muito explícito porque acho que devo isso ao João. Só que fica complicado... Pensei em não escrever, mas acho que me vai ajudar a arrumar de vez os meus “macacos no sótão”. Basicamente morreu um familiar do João. Soubemos da notícia numa segunda-feira de manhã e ao final da tarde já estávamos no Porto. Posso dizer que para mim foram dias bizarros, estranhos e vivi muita coisa que nunca pensei viver.
O meu contacto com a morte, feliz ou infelizmente, é muito curto. Se pensar bem apenas senti muito a morte e a ausência de uma pessoa: a minha tia e, não querendo de todo comparar, do meu cão Black (viveu comigo 13 anos. E sinto muito a falta dele...). De resto os pais da minha mãe morreram era eu muito novo, os pais do meu pai estão ambos vivos e todos os meus amigos continuam por cá. Por isso tudo isto foi novo para mim...
Uma das conclusões que mais uma vez cheguei, foi a de que os verdadeiros amigos são do mais importante que temos na vida. Estou quase a fazer 30 anos e muito tenho aprendido nestes últimos tempos (será sempre assim?) mas sem os amigos não somos nada. Mas amigos dos verdadeiros, dos que cá estão para o bom e mau. Em todo este “episódio” não posso esquecer o apoio do Dudu, Je_Bois, Zé Luis, Bruno, Matos. Estiveram lá sempre!!! E para os dois primeiros creio que não foi nada fácil mesmo! Uma verdadeira lição para mim.
Por mais que tente não consigo esquecer os momentos vividos na noite que Quarta-feira no pontão da Foz. Os olhares que vi, os sons que ouvi, as sensações sentidas, as lágrimas vertidas, a lua, as luzes... E no meio de tudo isto uma impotência do tamanho do mundo!!! Será que consegui ajudar o João em todo este processo? Como agir nestas situações!!!
Muito mais haveria por dizer, mas acho que despejar acontecimentos não faz sentido. Apenas me apeteceu compartilhar...
E realmente não somos nada e tudo isto passa a correr. Quando olhamos para trás, já foi...

Groove Armada, “My Friend”

"Whenever I'm down
I call on you my friend
A helping hand you lend
In my time of need

Whenever I'm down
I call on you my friend,
I call on you my friend

Listen, Listen, Listen

Whenever I'm down
And all thats going on
Is really going wrong

Just one of those days again
You say the right things
To keep me moving on
To keep me going strong

Whenever I'm down

Listen, Listen, Listen

Whenever I'm down
And all thats going on
Is really going wrong
Just one of those days again
You say the right things
To keep me moving on
To be going strong."


Ass: Gattaca

Sem comentários: