quarta-feira, 30 de junho de 2004

AH "jogo dji bóla"!!!!

Claramente uma vitória gloriosa!!!! OK! Eu não percebo nada disto. Continuo a dizer que sou uma GRANDA naba!
3-1 era a previsão... que no fundo acabou por quase se concretizar, porque a Holanda marcou de facto um golo, mas estava fora de jogo (as coisas que a minha boca diz, não sabia que tinha isto dentro de mim!!!); os outros três golos foram por nossa, os tugas, conta!!!! O desespero de marcar era tanto que marcaram na baliza "que estava mais à mão"... um auto-golo!
AHHH Portugal OLÉ!
Agora venha uma desforra com a Grécia... e vocês que andam para aí continuem a festa! Eu vou dormir!

BJSSSSS
Ziggy

PS: Oh Gattaca, desculpa lá! Mas não m'aguento! É um turbilhão que há dentro de mim... o Eusébio que há em mim, tás a ver, ao lado da criança, da Amália, do Eládio Clímaco, da Manuela Moura Guedes (na fase do Foram Cardos Foram Prosas) e outros tantos!

Alô??? Alô????!!!! Anybody out there?

Viva a morbidez de espírito! Hoje ninguém diz nada??? Que clube é este?
Está tudo a despachar-se para o jogo de mais logo ou ficaram em casa por causa da greve da Carris? Não há alegrias e tristezas para compartilhar???
Que coisa!
BJS

Ziggy

terça-feira, 29 de junho de 2004

"Não Vale A Pena"

Isto parece um muro de lamentações!
Marisa Monte rodou vezes sem conta no meu CD. Mas ao presente cenário avanço com uma interpretação de Maria Rita de "Não Vale a Pena". Direitinha aos corações despedaçados, amargurados, desengonçados e desorientados. Lembre-se NÃO VALE A PENA!!!!

Ficou difícil
Tudo aquilo, nada disso
Sobrou meu velho vício de sonhar
Pular de precipício em precipício
Ossos do ofício
Pagar pra ver o invisível
E depois enxergar

Que é uma pena
Mas você não vale a pena
Não vale uma fisgada dessa dor
Não cabe como rima de um poema
De tão pequeno
Mas vai e vem e envenena
E me condena ao rancor
De repente, cai o nível
E eu me sinto uma imbecil
Repetindo, repetindo, repetindo
Como num disco riscado
O velho texto batido
Dos amantes mal-amados
Dos amores mal-vividos
E o terror de ser deixada
Cutucando, relembrando, reabrindo
A mesma velha ferida
E é pra não ter recaída
Que não me deixo esquecer



Jks e abraços
Ziggy

"Não vá Embora"

Marisa Monte é sem qualquer dúvida uma das minhas referências musicais. A senhora é uma deusa. Há uns anos (2000) ela editou “Memórias, Crônicas e Declarações de Amor”. Um álbum simplesmente arrebatador. Felizmente nunca “colei” nenhuma música a determinada pessoa. Isto permite-me nesta fase da minha vida ouvir o disco e apenas me identificar com os sentimentos Marisa Monte. E tenho várias músicas com as quais me identifico. Hoje
é esta....


“Não vá embora”

E no meio de tanta gente, eu encontrei você
Entre tanta gente chata sem nenhuma graça...
Você veio
E eu que pensava que não ia me apaixonar
Nunca mais
Na vida

Eu podia ficar feio, só perdido
Mas com você, eu fico mais bonito
Mais esperto
E podia estar tudo agora dando errado para mim
Mas com você, dá certo

Por isso não vá embora
Por isso não me deixe nunca,
Nunca mais
Por isso não vá,
Não vá embora
Por isso não me deixe, não me deixe mais

Eu podia estar sofrendo, caído por aí
Mas com você, eu fico mais feliz
Mais desperto
Eu podia estar agora, sem você
Mas eu não quero
Não quero

É por tudo isto que não consigo aceitar a minha separação do João. É por isso que feito inútil ainda ontem à noite lhe enviei uma msg antes de adormecer. “Opá... Ainda pensei que ligases hoje para contar do exame... :-(”. Enviada à 01h16 de 29/06/04. Relatório: entregue. Resposta: Zero

Porra sou mesmo burro e inútil!!!!! Que mais preciso eu para entender que ele já nem está aí??? Que cagou?! Que quer seguir a vida dele sem mim! Que não se vai “fechar num convento”??? Quanto mais tempo vou humilhar e expor-me desta forma?

Onde vou encontrar as forças necessárias para conseguir também esquecê-lo? Olhar para tudo isto e rir-me?

Ass: Gattaca

segunda-feira, 28 de junho de 2004

Um fim-de-semana caótico

E pronto... De regresso a Lisboa depois de dois dias passados no Porto. Agora é que acho que não há volta a dar. Fui ter com o João para falar, ou pelo menos tentar. No fundo havia da minha parte a esperança de que as coisas fossem resolvidas... Mas não! Nada, zero... Acho que nunca me senti tão perdido, desorientado e confuso.

O encontro aconteceu no sábado assim que cheguei ao Porto. Ele foi-me buscar à estação - como tantas vezes tinha acontecido no nosso namoro. Vi-o e foi horrível! Senti-me indefeso, desorientado, perdido, desarmado, o chão fugiu-me dos pés, os olhos olharam logo para baixo. Queria fugir, voltar para Lisboa.

Só o queria abraçar, senti-lo, encostar-me e perceber que tudo tinha passado. Na realidade apenas aconteceu o aperto de mão e umas lágrimas a saírem sem autorização dos meus olhos. O meu estômago era um buraco de dor... Ele continua lindo de morrer, continuo a ama-lo.

Depois... Depois foi péssimo... Cada vez que o olhava chorava, não consegui tirar os oculos escuros, não consegui dizer-lhe o que sentia. Ele falou, eu falei. Resultado zero!

Nessa noite fui sair com uns amigos meus: Ribeira, Maus Hábitos e Triplex. Alcóol e droga fizeram parte da ementa. 03h30 começo a perder o controlo dos pensamentos (a porra do pólen era bom)... Queria-o, precisava dele. Envio-lhe sms e nada de respostas. Era insuportável estar na cidade dele e não o ter e não o ver. Continuei a beber, continuei a fumar. Onde estava o meu gajo?
07h casa do casal meu amigo. Dormi até às 13h30. Estava sozinho, nova mensagem ao João. Sem resposta... Tentei ligar-lhe diversas vezes... Nunca obtive resposta! Confesso que devo ter sido insuportável de tanto insistir, mas é ele que eu quero. Humilhei-me, exagerei, insisti. Com tudo isto só acho que o afastei mais. Mas naquele momento para mim era o que fazia sentido. Perdi-o... Jurei que nunca mais lhe diria nada!

A viagem de regresso foi insuportável. Não parei de chorar os primeiros minutos. Não me conseguia controlar. Até que ao som da banda sonora de "Mishima" de Philip Glass adormeci... Até bem perto de Lisboa.

O Cosmos é curioso e brinca connosco de uma forma estranha!! Quase em Santa Apolónia recebo uma chamada de um amigo que também tem um namorado que mora no Porto. Estava na estação porque o gajo dele tinha ido para casa. Pedi-lhe para esperar por mim para me dar boleia. Assim foi.
Quanto estou a chegar a casa um outro amigo liga a pedir ajuda. Queria desabafar. E lá fui eu jantar fora... Mais 2 jarros de sangria, mais charros, uma noite linda, uma exposição de fotos no Terreiro do Paço e as saudades do João a aparecerem. Chego a casa perto das 01h30. Tinha de falar com ele... Precisava... Liguei (já não cumpri a minha promessa). Não atendeu! Recebo chamada de volta passado algum tempo. E foram os 5 minutos mais calmos que tive nas últimas 5 semanas... Consegui falar com o João como antigamente. O meu João...

E agora? Como vou viver sem ele?

Gattaca

domingo, 27 de junho de 2004

A importância do adeus

"- Desliga tu! - diz ela.
- Não, desliga tu! Da outra vez fui eu que desliguei! - diz ele.
- Então desligamos os dois ao mesmo tempo. - diz ela
UM, DOIS, TRÊS
(Silêncio)
- Ah, ah, não desligaste! - diz ela
- Olha quem fala! - diz ele"

Eu desliguei. Desliguei para sempre. Estou Offline. Aquela conversa já a tive várias vezes. É o comum paleio dos apaixonados. Não, não me levem a mal. Não tenho nada contra os apaixonados, nem contra paixões. Paixão é um estado de graça! Eu desliguei e fiquei num estado de desgraça.
Não, não é bem um estado de desgraça. É um estado de vazio. Um estado de nada. O mundo passa lá fora, as pessoas passam lá fora, as estações também, os meus olhos acompanham, mas as emoções não. Não querem saber. Querem lá saber. Fazem tudo de empurrão ou puxado por saca rolhas.
Estarem sós ou acompanhadas? Tanto faz. As emoções encontram sempre um meio de se ausentar. E este foi o seu principal problema. Há que saber dizer adeus.
Desligar é ficar em stand by. Dizer adeus é desaparecer. Desligar é conversa. Dizer adeus é deixar morrer um sentimento.
POR ISSO, ADEUS!

Ziggy

PS: Porra! Que lamechice. Mas tinha de ser! Nem sempre consigo puxar do rol da asneirada que faz toda gente rir! Desculpem lá!

PS2: Depois de uma selecção a ganhar, vamos ter um novo primeiro-ministro e o Scolari prefere Portugal ao Brasil? Isto é emoção a mais. E depois vêm as férias? É demais!

sexta-feira, 25 de junho de 2004

Para Ricardo, o meu herói nacional!

Ora quem sou eu para falar de futebol! Uma naba, mesmo! Não tenho clube, não acompanho qualquer Liga, Super Liga, Minor Liga, Premier Liga... whatever liga... nem mesmo a selecção nacional.
Acompanho só quando me obrigam! Não tenho bandeira na janela, nem no carro (vá batam-me), não me vesti de vermelho e verde com uma risca amarela (mas votei nas europeias)! Nada! Nunca tive uma paixão por nenhum jogador de futebol... (OK, o David Beckham tem o seu quê de charme! Mas também tem a Victoria no dedo da mão esquerda!)
Mas quando decidi fazer-me ao asfalto ontem à hora do jogo não resisti ligar o rádio e ouvir o relato... EU?!? a ouvir o relato!
Pimba o primeiro golo aos três minutos... sou eu que lhes dou azar, se calhar!
Passei os cento e não sei quantos minutos de jogo a roer as unhas e sem conseguir tirar os olhos da televisão (e mesmo assim continuo abismada com o facto de ter estado a ver um jogo de futebol!)... até ao fim. Até à grande penalidade, até ao momento em que Ricardo arregaça a manga, tira as luvas, cospe para o chão, faz nha-nha-nha-nha-nha-nham ao adversário, defende o penalty, corre para a área de grande penalidade e remata a fundo na baliza.
Ricardo, és o meu herói! Disseste que nem que levasses com a bola na cabeça havias de defender o remate do inglês!
"Tinha de fazer qualquer coisa para me motivar e desestabilizar o adversário. Tirar as luvas foi o que me passou pela cabeça ao ver o Vassel a chegar à marca da grande penalidade", disse Ricardo ao site euro2004.com.
Foi tudo uma questão de luvas! Ainda bem que nada mais lhe passou pela cabeça!
Um conselho: começa já a pensar o que vais tirar no próximo jogo a ver se chegamos à final... e por uma vez na vida sejamos melhores que os gregos... nem que seja só a tirar as luvas!!!!

Beijos e abraços!
Ziggy

PS: desculpa Gattaca! Tinha de falar de futebol, mas tou contigo! A vida vive-se numa grande penalidade entre a zona de remate e a baliza... na incerteza do trajecto da bola, mas com a certeza de que os 2 jogadores estão lá!!! Got me??? JKS


Rodrigo Leão - "Cinema"

Não deixem de ouvir e saborear... Segunda-feira (28 de Junho) é editado o novo álbum de Rodrigo Leão. Um paraíso...
Querem um exemplo?

"Hoje o céu está mais azul
eu sinto
olho à volta mesmo assim
eu sinto
que este amor vai acabar
e a saudade vai voltar

Meu tempo vai chegar
para dizer o quanto eu sinto
você longe de mim
é uma espécie de dor

hoje eu sei o que esperar
dessa vida fugidia
não sei como lhe explicar
mas é mesmo assim o amor"

Ass: Gattaca

Sinto falta...

Estou cheio de frio! É estranho. Portugal ganhou aos ingleses, está tudo louco na rua. Devo ser um dos poucos portugueses que não sente nada de especial com isto (pronto... acabei de ganhar um rótulo qualquer menos simpático da vossa parte. “Um gajo que não delira com um jogo destes!”). Ou melhor, sinto... mas é tristeza. Sinto falta do meu ex. Ok... segunda revelação bombástica:, sou gay. Assumido. Odeio bichices e afins, mas lamento não renego quem sou e por isso quem gosta, gosta - quem não gosta nunca mais cá vem. Mas este assunto fica para outro dia. Aliás nem gosto muito de andar com o estandarte do gay desgraçadinho e afins.

Sinto falta do João
Sinto falta da voz dele
Sinto falta do olhar
Sinto falta do sorriso
Sinto falta do toque dele

Basicamente o João gosta de futebol e assim que a selecção ganhou fiquei com os olhos cheios de lágrimas. Não podia chorar, estava no meu emprego.

Queria ligar-lhe
Queria ouvir a voz dele
Queria dizer-lhe tanta coisa
Queria viver a alegria com ele
Queria sentir que eu ainda era importante para ele

Pois... Não podia. Ele acabou comigo há 4 semanas. “Tenho medo de ser feliz” ouvi. E a seguir uma série de disparates que não fazem qualquer sentido. Porque não podem as pessoas ser sinceras? Durante estas semanas fiz tudo o que podia para tentar tê-lo de volta. Não consegui... Nem sequer uma explicação decente que até merecia ouvir. Agora todo o tipo de explicações e justificações me surgem na cabeça. Da mais lógica à mais parva....Só que não consigo (nem quero) ficar muito mais tempo assim...

Quero fechar-me em casa e chorar
Quero tirar férias
Quero parar 2 segundos
Quero paz e sossego
Quero ser feliz
Quero ir para casa
Quero o João

Gattaca

P.S 1 – Prometo que vou ser mais lógico e explicativo no futuro
P.S 2 – Obrigado Ziggy, Dudu e Xlr8!

quinta-feira, 24 de junho de 2004

1,2,3 experiência!!!!!

Quantas vezes já leram isto!??!?!
Pois, mas é cedo, o cérebro não está a funcionar ainda a 100%... será que a 50%? Com sorte... e serve o presente post apenas para, exactamente isso, uma experiência... futilidades... ver se gostamos da aparência, quero verde quero azul! Nem sei bem o que queremos!
Sabemos que queremos um Blog, já não é mau, né? Acreditamos que juntos, sim porque contamos com contribuições de todos, podemos ter um mundo melhor (onde é que eu já ouvi isto?!??! chorem agora!)!

E aqui começa uma experiência a quatro, seis, oito, dez... quantas mãos forem precisas... quem quiser pode contribuir só com uma mão... ou mesmo um dedo... meio
neurónio neste que é o Junta-te ao Clube... aquela bela frase que se aplica quando... "eu estou tão deprimido(a)... junta-te ao clube"; "não tenho dinheiro... junta-te ao clube"; "tou farto(a) do meu patrão... junta-te ao clube"... e só não ficou Join the Club (muito mais chique!) porque não deixaram no registo.

1,2,3 experiência!
Funciona?

O meu nome é Ziggy! Beijos e abraços apertados a todos!
Welcome to the twilight zone!

E hoje parece que se tem de dizer "Força Portugal", né?