quinta-feira, 30 de dezembro de 2004

“Waste”

É sempre assim. Quando pensava que não ia escrever mais nada este ano, eis que arranjei tempo para vos passar mais algumas informações.

Se puderem pesquisem na Net e ouçam o tema “Waste” dos Archive do álbum “Noise”. O meu agradecimento ao Nuno Calado, aqui da rádio, que tocou o tema no seu “Indiegente” e emprestou-me o disco para este fim-de-semana que se espera especial...

Descrever é de todo impossível, tal é a intensidade dos teclados, da letra, da voz, da orquestração, da batida, da bateria e dos ruídos electrónicos. Só mesmo ouvindo. São quase 10 minutos simplesmente arrepiantes e sofridos. É uma óptima sugestão para terminar o ano...

Para abrir o apetite fiquem com a letra... Mas ouçam esta música...

“Waste”

“Talk to me
I haven’t said a word in days
Please talk to me
And I can tell you of my ways
In which I numb myself
In which I numb myself

Drink with me
I will talk of thing I want
To do in life, but know I can’t
Find the energy
Find the energy
Find the energy
Find the energy

Time has come
Come to me at such a speed
And given me the time I need
To waste

Waste on you, I’ve got time to waste on you
Waste on you, I’ve got time to waste on you
Waste on you, I’ve got time to waste on you
On you

On and on and on and on with you

Ass: Gattaca

PS1 – Amanhã, dia 31 de Dezembro de 2004, sigo para sul. Festa privada numa casa de praia algures em Albufeira. Som de DJ Al, companhia de pessoas porreiras e das quais só conheço algumas. Mas vai ser bom. Mudança de ares. Só espero não apanhar muito trânsito... Segunda conto tudo. Está prometido...

PS2 – Tenho saudades do João... E estou cansado de as ter. Não as quero... Não preciso delas... Não me trazem nada... Só dor, silêncio, apatia, ausência... NÃO AS QUERO!!! Só que por mais que batalhe este sentimento não desaparece... Quero paz de ti!

PS3 – Tenho mesmo de mudar a minha vida. Como me dizia hoje a Ziggy tenho de voltar a apostar no ginásio que sempre me distraía...

BOAS ENTRADAS!!!!!

Caros Sócios:

BOAS ENTRADAS EM 2005!!!!

Quanto ao resto do ano espero que tenham um fabuloso 2005 e vamos fazer um Ano Novo melhor... De resto vamos andar todos por aqui para que tudo corra da melhor forma. E no final de tudo o que conta mesmo é a amizade!!!


Ass. Gattaca


PS - Peço desculpas por nos últimos dias não ter sido muito participativo por estas bandas, mas o trabalho é muito mesmo... Quanto à Ziggy, continua de férias mas não pode aceder a páginas internacionais. Ela despois explica melhor!!!

terça-feira, 28 de dezembro de 2004

Palavras que não existem no Microsoft Word # 6

Vodka, acabadinho, cigarrinhos, coisinhas, arrepiantes

Ass: Gattaca

Piadinha do dia # 9

“ - Amor... Vou-te passar a chamar Eva.

- Porque?, pergunta ela.

- Porque tu és a primeira mulher da minha vida! - responde ele

- Está bem. - diz ela - Eu vou passar a chamar-te Peugeot.

- E porque? - pergunta o marido

- Porque tu és o 206..”



É o que eu sempre disse. Sinceridade acima de tudo...

Ass: Gattaca

PS – Já mais calma tia??

segunda-feira, 27 de dezembro de 2004

Para o ano há mais!!! # 2

Ao som de “Oh Superman” dos Mandy, a pedido do Pedro e sem qualquer vontade de trabalhar, decido contar-vos o meu 25 de Dezembro.

No dia 24, quando finalmente chego a casa, percebo que não tenho fita-cola para embrulhar os presentes que me faltam. Mensagem para a mãe a dizer que no dia seguinte ia lá acabar de embrulhar o que me faltava. Dito e feito! Acordo uma hora mais cedo que o previsto e lá vou eu para Linda-a-Velha outra vez. Lá chego, lá embrulho as coisas, lá recebo a chamada do meu pai a dizer que está a sair de casa e lá vamos nós.

Quando estou a sair de casa da minha mãe acontece-me o momento do dia: vejo um dos gajos mais bonitos do Gaydar. Podem criticar... Já tínhamos trocado umas mensagens simpáticas mas nada mais... Nunca nos vimos ao vivo. Agora vi-o e é bem bonito. Seguindo em frente...

O ponto de encontro com o meu pai era no Fogueteiro. Deixem-me explicar que os meus pais são separados e por isso no Natal, o dia 24 é para a minha mãe e o dia 25 para o meu pai. E porquê o Fogueteiro? Porque este ano o encontro de Natal ia ser na Verdizela onde os pais da minha madrasta têm casa. Ainda estão comigo? Ok...

O meu pai liga, eu saio de Linda-a-Velha a caminho do Fogueteiro... Só que à entrada da Ponte 25 de Abril está tudo parado... Como seria de esperar. Estou eu na fila e liga o meu pai furioso porque já lá estava. Lá o acalmei a dizer que estava quase a chegar. Passados 10 minutos estava numa bomba de gasolina onde combinámos .

Depois de andarmos perdidos nas ruas da Verdizela, chegámos à tão esperada vivenda. Deixem-me explicar que nesta casa só ia encontrar a família da minha madrasta: mãe, pai, os dois filhos dela, irmão (mais 2 filhos e uma namorada – que por sua vez trouxe o pai), outro irmão (mais namorada), irmã (mais marido – que também trouxe a mãe dele – e filha) e mais umas quantas pessoas que não faço ideia de quem fossem. Certo é que ia passar o dia 25 com o meu pai, mas no final mal o vejo. Também o diálogo entre nós os 2 nunca foi fácil ou fluído.

Lá chegamos, saímos dos carros e vejo os meus avós... Beijo, beijo e começa a minha avó de 85 anos: “aí que bonito que estás. É tão bom ver-te. O meu Paulinho. Desculpa mas não temos presente para ti porque não sabíamos que vinhas”. Até aqui tudo bem. Depois de lhe dizer que não fazia mal a pergunta tradicional: “Tu não és crente em Deus pois não?” AAAAAAHHHHH. Todos os anos lhe digo que não! E todos os anos ela tenta-me despachar a porra da bíblia. E para ler o salmo 23!! CAGUEI NO SALMO 23!!! Obviamente não me descomponho e vou respondendo a todas as questões da forma mais cordial que sei. E fico a saber que a Deus vai voltar, e que a congregação dela está cheia de jovens como eu... Olha que bom!!!

E lá entramos em casa. Beijos, cumprimentos e pronto. Sento-me a um canto da casa onde todos se conhecem. Os filhos da minha madrasta é que ainda não tinham chegado e por isso não tinha ninguém com quem falar. Que se fala com pessoas que só vemos uma vez no ano???? Gajas não é o meu forte, carros e desporto também não, o meteriologia rapidamente se gasta e é pouco imaginativo. Onde estão as pessoas que falam de drogas, sexo, cinema, música, experiências de vida, episódios giro? Nesta vivenda não estavam...

Pego no meu telemóvel e ligo para a Mipo. Ela atende-me, desabafo e contou-lhe do salmo 23. Passados uns minutos tinha a Mipo a ler-me o dito salmo através do telemóvel. Coisa bonita!!! Lá avacalha-mos um bocado e fico mais solto. Também já tinha bebido 2 gin tónicos (à falta de vodka)! Regresso ao interior da casa!!! GRANDE FESTA!!! Decido-me ir tentar falar com os meus avós. ERRO!! E dos grandes. Quando me chego ao sofá onde eles estavam sentados a minha avó cantava em voz de beata um cântico qualquer religioso... “FOGE e depressa. Ri-te e vai-te embora”, pensei eu. Assim foi...

Durante o almoço tive tempo de perceber que o Frágil é um sitio de panascas, que Timor está óptimo, que o bacalhau com broa foi encomendado num restaurante onde a minha irmã trabalhou, chamaram-me várias vezes de Pedro e Miguel (o meu irmão), diversas vezes perguntaram quem eu era, que o meu pai vai falar com os Gift para negócios e mais umas coisas completamente insignificantes...

Entretanto cheguei a uma brilhante conclusão: de todos os presentes na sala com mais de 30 anos eu era o único que não tinha acompanhante! Hum!! Porque não sei eu enrolar charros? É que até tinha tudo no carro!

Hora dos presentes!!! QUE BOM!!!! E que ganhei eu: 50 euros dos meus avós, 250 do meu pai, 50 da minha madrasta, um livro do Steve Martin e uns ímans para o frigorifico!!!!

18 horas, a altura perfeita para voltar para Lisboa. Vou-me despedir do meu pai ao que ele me pede para dar boleia aos meus avós. E que devia eu ter dito: NÃO!!! Sorri e disse que sim. Velhos dentro do carro e lá vamos nós. Felizmente já estou algo habituado a estas boleias e já em desligo por completo. Sorte foi não termos apanhado trânsito e a viagem até foi rápida. Como seria de esperar houve tempo para mais um pensamento divino da minha avó. Sabem o que diz Nosso Senhor sobre as velocidades? “A 90 estou ao teu lado, a 100 no banco de trás. A mais de 100 estás por tua conta”. Não é bonito?

E pronto. Estava na hora de ir para o meu 3º Natal, e não sei porquê o único onde realmente me sentia desejado. Fui convidado para jantar na casa dos pais do meu ex-Nuno. Foi bastante simpático e calmo. Foram 3 horas de paz, conversa, bom ambiente e boa disposição.

Findo o jantar dei bolei ao Nuno e ao seu namorado até casa deles no Príncipe Real. Lá fui para minha casa e liguei ao XRL8. Passadas algumas horas estava em casa dele para irmos para o Bairro. Estivemos na rua à conversa, fomos ao Frágil (que para mim continua a ser uma casa onde se houve música muito boa) e acabámos a noite no Incógnito (que definitivamente eu não gosto). Às 06h estava em casa com as festividades de 2004 encerradas.

Para o ano há mais...

Ass: Gattaca

PS – Porque será que todos os anos passo pelo mesmo?

Para o ano há mais!!!

E pronto, já passou e não doeu assim tanto... Para variar foi um caos e ficou provado que não me identifico nada com a hipocrisia da minha família, ou melhor, dos meus primos e da minha tia. Como supostamente a minha tia tem dinheiro os meus primos fazem-se à herança dela descaradamente. “Aí que a comida que a tia encomendou está muito boa!”, “A tia está com um óptimo aspecto”... Até tive de ouvir a noite toda que o meu sobrinho é a cara chapada de um dos meus primos quando era bebé!!! Alias é obvio e normal que assim seja...

Só que me estou a adiantar. A ordem dos acontecimentos foi esta:

Estive na rádio a trabalhar até às 19h30. Como a rádio é nos Olivais e a minha mãe mora em Linda-a-velha e não pode guiar (por causa do braço), lá fui dos Olivais até Linda-a-velha, pela 2ª circular. Lá chegado encher o carro de coisas e pessoas e lá fomos para Benfica.

Chegados a casa da minha tia, sabemos que não existia o tradicional peru, porque este ano a minha tia quis mudar tudo e ser ela a tratar da comida. Conclusão não havia peru. E o que sofria a minha tia!! Aí o peru, aí o peru... Eu só me ria... Mas no fim o cabrão lá apareceu.
“E que boa que era a comida”, e que “os papos de anjo eram óptimos” e que a minha tia era fabulosa e por aí fora...
O que safa sempre isto sou eu e o meu primo que avacalhamos a noite toda... Até ao Gaydar fomos dar pontuações aos gajos. Este ano tive um bónus: ver a pila do meu primo. Pois é!!!!! O moço tem lá um perfil com fotos da pila dele. E sabe Deus porquê, quis-me mostrar!!!!

A meio da noite o grande momento dos presentes!! YES!!!! 2 DVDs (que tinha pedido) do “Swiming Pool” e do “Lost in Translation” e o famoso envelope com dinheiro da minha tia... “Olha Paulo, este ano o menino recebe menos que os seus primos porque a tia também vai dar dinheiro à sua mãe”. Exacto isso mesmo!! Como a minha mãe também recebe dinheiro eu levo menos que os outros... Mas sou eu casado com a minha mãe?? Depois viemos a descobrir que eram menos 25 euros. Sempre recebi 50 que vão direitos para o DVD do “E Tudo o Vento Levou”

Perto das 24h o meu sobrinho (que é igual ao meu primo, não se esqueçam) tinha de ir para casa dormir! Lá nos preparamos para regressar a Linda-a-velha! Todos para o carro outra vez...

Chegados a Linda-a-Velha nova abertura de presentes. Agora só eu, a minha mãe e as minhas irmãs. Lá recebo o CD do Rodrigo Leão que pedi, uns Ferrero Roche e as putas das pegas que todos os anos a minha mãe faz... Nas famílias normais a malta recebe meias e cuecas. Pois eu tinha de ser diferente e todos os anos recebo duas pegas feitas pela mãe. E eu que mal cozinho... Enfim... Mas a piece de resistence estava para vir. Dado pela minha mão: um mealheiro comprado no Lidl formado por 3 torres de metal (1 para 1 euro, outra para 50 cêntimos e a última para os 10 cêntimos) todas elas com tampinhas presas por uma corrente que está fechada por um cadeado. Ok! Que se passou pela cabeça da minha mãe???? Lá fiz o teatro e ainda tentei despachar aquilo para as minhas irmãs. Vá se lá saber porquê não aceitaram... Só que havia uma explicação: “quando vi isso no Lidl estava nas compras com a tua irmã e disse que isto era um óptimo presente para ti porque já tens 30 anos e tens de começar a poupar...” Nem faço comentários...

Perto da 01h30 estava a guiar para minha casa para ir ter com as gatas... Ainda falei com a Vera Lachapelle para irmos ao Bairro, mas no fim cortei-me. Chegado a casa foi a altura de ir abrir alguns presentes dos meus amigos. Mais um momento surreal... Uma calçadeira do IKEA. Viram que bom? Só que a merda da calçadeira vai-me até aos joelhos e é fluorescente!! De rir.

Lá me fui deitar e preparar-me mentalmente para o dia 25. Programa do dia: Almoço em casa da família da minha madrasta, e onde por acaso está o meu pai mais os meus avós. E no final do dia com jantar em casa dos pais de um dos meus exs... É isto que a malta quer...

Ass: Gattaca

PS1 – Não continuei a escrever porque o texto está enorme... Mas obviamente não vão ficar sem saber tudo...

PS2 – Ouço Mandy, “Oh Superman”!!!! AMO!!!!!!!! Vá todos a dançar!!!!!!!!!

domingo, 26 de dezembro de 2004

à espera de 2005

Este ano esperei por muita coisa... esperei por um milagre, por um gesto de compaixão, por alguém, por alguma coisa, pelo dia seguinte, pelo mês seguinte... e acabo o ano à espera de uma agenda em branco.
Faltam cinco dias para o ano terminar e mais uma vez eu espero... espero que nestas últimas horas do ano ainda aconteça o célebre milagre, o gesto do alguém com aquela alguma coisa para ter um dia seguinte diferente e um mês seguinte ainda melhor.
Não espero muito, só espero o suficiente para que tudo mude só um bocadinho. Um bocadinho de cada coisa é mesmo o suficiente para que todos os dias me levante com um objectivo bem definido, com garra, com vontade. Para que cada dia não seja igual ao outro. E mesmo que o seja, que tenha alegria em vivê-lo e não vê-lo passar à minha frente sem interesse.
Este quê, quem, como, quando, onde e porquê podem ser uma série de coisas que esperei que 2004 me trouxesse. Mas não trouxe. Ou trouxe como presentes envenenados. Souberam bem enquanto duraram, mas deixaram marcas profundas. Vivi tudo nos 100% e depois acabaram-se os créditos. Morri. Há seis meses atrás enterrei aquilo que eu era. Comecei o processo de regeneração, com alguma resistência, mas fui andando. E aqui estou, pronta para finalizar a regeneração e lançar de novo os dados.

Beijos
Ziggy rising from the ashes

sábado, 25 de dezembro de 2004

Jingle Bells... Jingle Sirens

De facto, o Natal deste ano fica para mais tarde recordar. Como vos tinha contado no post anterior, o Natal em minha casa tem o seu quê de surrealismo. Só contado que ninguém acredita. Esta seia de Natal não fugiu à regra. Começou no bacalhau e acabou nas sirenes da polícia e dos bombeiros.
Para as caipiroskas de aperitivo, não havia gelo; o bacalhau entrou na mesa descompassado, as batatas só chegaram no fim; o vinho entornou-se (dizem que é alegria); a cadela ladrou a noite inteira de histeria (teve de tomar um atarax). No meio disto tudo, com este chove-não-molha, eram 10 da noite como previsto e estava tudo despachado.
Enquanto isto, o Pai Natal da Petzi, a cadela, teve de chegar mais cedo para a entreter com os presentes. Ficou o resto da noite a mastigar um osso GIGANTE, além de ter comido uma embalagem de guloseimas.
Eu pensava ainda nas minhas prendas.
Enquanto isto ainda, a vizinha do primeiro andar chama os bombeiros e a polícia porque não consegue abrir a porta de casa. Chamou-nos. Não ouvimos. Quando demos por isso, estavam uma série de agentes salva-vidas escada a dentro para tentar abrir a porta!! Não posso acreditar. Era só bater à porta com mais insistência.
As prendas... uma desilusão. Além de um altar para colocar os quatro elementos da vida - a água, o fogo, a terra e o ar - (que já tinha pedido ha muito tempo), recebi também uma mochila e uns 50 cheques Colombo... olha que bom!
Fiquei tão triste. Não gosto muito de receber estes cheques, porque dão cabo da surpresa. Além de que me esforço bastante para dar os presentes certos às pessoas, não compro nada por comprar... tento sempre encontrar aquilo que as pessoas mencionaram que gostavam de ter ou que se adeque à vida de cada uma das pessoas. E sobram-me cheques.
Quando me apercebi do meu Natal desastroso, mandei mensagens a alguns membros do clube. Queria saber como estavam a passar a sua noite. 5-1: ganharam as noites surrealistas. Fico mais descansada.

Bom Natal!
Beijos
Ziggy

sexta-feira, 24 de dezembro de 2004

O Natal

Ontem, eu e o Gattaca estávamos a conversar sobre o Natal, sobre a festa, a reunião de família, a organização dos eventos natalícios. O Gattaca relatou-me o que fazia em casa dele e como estava triste por não ter uma "família normal", onde passasse um Natal supostamente "normal". O problema aqui é que o Natal não é uma festa normal, muito menos um dia normal e acaba-se sempre por fazer coisas pouco normais e nunca nos apetece fazer o que temos para fazer. No fim, o que conta, é o que se comeu e as prendinhas e acumulam-se horas de cansaço.
Ainda há famílias que só se encontram na totalidade no Natal. Para eles isso conta, é a típica reunião de família, juntos à mesa, e no fim trocam-se algumas lembranças. Nas famílias mais pequenas, como a minha, o Natal acaba por ser igual a qualquer outro almoço de família, que ocorre mês a mês... só que no fim abre-se as prendas. E no dia 25, continua tudo na mesma, o almoço repete-se com as mesmas pessoas, já sem assunto senão aquele que está na televisão.
Para mim são horas infinitas sentada numa mesa sem interesse. A maioria das pessoas que se senta à minha mesa está para além dos 50, excepto eu, uns estão mesmo para além dos 80, estando por isso a festa condenada após as 10 da noite. Eu acabo a noite com um copo na mão e a rezar para que a meia-noite chegue depressa, se abra as prendas e nos vamos todos deitar. A noite é sempre diferente, porque mudamos todos de cama, porque há mais gente em minha casa do que é habitual. Por isso, a noite é sempre mal dormida.
Tudo somado, o Natal acaba por ser totalmente anormal e apenas suportável por ser uma noite de boas acções e solidariedade, mas onde está tudo contrariado, onde nada acontece porque queremos.
O Natal, para nós, desta geração, é no fundo a tradição de cada uma das nossas famílias, que se calhar gostavamos de alterar, gostavamos de ter um Natal diferente, de não comer bacalhau (que é uma espécie em extinção), de ter uma mesa diferente, de ter uma rotina diferente. Mas foi o Natal que herdámos. Só quando fizermos o nosso Natal poderemos começar uma nova tradição, que há-de ser divertida para nós e uma estupada para outros.
Certo é que se ouve muitos comentários sobre a necessidade urgente que as próximas horas passem depressa, porque "o Natal é uma nervoseira".

Bom Natal a todos, dentro do possível!
Beijos
Ziggy

A todos... um Bom Natal!


A Direcção do Clube
Beijos e Abraços
Gattaca e Ziggy

quinta-feira, 23 de dezembro de 2004

Para a avó Alda

Eu sabia que o dia de hoje me dizia qualquer coisa. Mas eu acho que todos as datas me dizem qualquer coisa. Acho sempre que me esqueci do aniversário de alguém. Hoje tinha-me esquecido de ti. Já lá vão 15 anos que desapareceste. Por acaso deixaste-me uma herança preciosa... o meu espírito e aquele polegar espetado. Lembro-me que adoravas minis pretas e tricotavas uma camisola numa noite. Ficavas alguns dias cá em casa. Mas eu pouco te ligava. Injustiças da infância. A esta distância sei que errei, mas naquela altura pouco sabia de alguma coisa. Nem sequer percebi bem o que se passava e ninguém explicou, como é costume.
Mas hoje lembro-me de ti, uma mulher de coragem. Este post é para ti.
(e se tiveres com a avó Amélia, manda-lhe beijinhos também!)

Beijos avó!
Ziggy

quarta-feira, 22 de dezembro de 2004

Não sei se diga... não sei se pense... não sei se faça II

Lembram-se daquela companheira de secretária que gritou com o telefone?
Acabou agora mesmo de se atirar para o chão. Não consigo descrever. Escorregou na cadeira... e pumba atirou-se para o chão. E agora está lá sentada a conversar com outra!
Digam se isto não é um hospital de malucos?

Beijos
Ziggy

5 Minutos

Não sei se já aqui referi, mas senão digo agora. Se já disse, paciência! Como diz o Pedro do “Lado Esquerdo” estou a ficar repetitivo...

Decidi que nos próximos tempos vou fazer A selecção dos CDs que merecem continuar nas minhas prateleiras. Tenho muita merda e pouco espaço. E por isso ando a mexer em discos que não via à anos!!! Já nem me lembrava deles. Tudo isto para ouvir alguns deles aqui na revista e decidir se me despeço deles ou se continuam comigo. Garanto que me estou a tentar despegar um bocado dos Gift, mas o Cosmo não deixa. Hoje de manhã encontrei um CD com a gravação do mini-espectáculo que a banda deu no Lux a 26 de Agosto de 1999... Pois é! Não resisti e tive de o ouvir...

Neste concerto de 6 músicas, a última só podia mesmo ser...

“Five Minutes Of Everything”

“Give me please five minutes of everything...

Those days when you wake up
And there's no one by your side
My arms slides slowly to my left side
And to my right side, there's no one there
To kiss you or to hear you

And you go out of bed
Thinking in those days that you need
You used to talk and talk about
And everything that stops your attention
You used to talk, talk about
Everything

Those days when you walk at the bar
And try to keep a conversation with somebody else
And no one out there you could sit down or walk
There's no one there

Five minutes of love
Five minutes of hate
Five minutes I try to call your name
Five minutes of passion

And no one knows the right place to go
No meaning or just self-control maybe
And you walk out of there
You need to talk with somebody else
To know the problems are waiting for
Outside the door
Are waiting for
The clock won't stop
And even if it stops

Five minutes of love
Five minutes of hate
Five minutes I try to call your name
Of passion
Five minutes of everything
Of everything

Maybe you want to talk about old questions
Right next to my ear
But I don't care about those silly things
Cause all I need is five minutes of everything”


Ass: Gattaca

Não sei se diga... não sei se pense... não sei se faça

Hoje tive a prova de que trabalho num manicómio. Isto é um hospital de malucos e ninguém me avisou. Eu já desconfiava. Mas quando a louca da minha companheira de secretária começa a gritar para as teclas do telefone, dizendo "calem-se", tive a certeza de que estou definitivamente no sítio errado.

Não vou dizer onde estou, porque estava a fazer publicidade, e não quero vender produtos sem pontos fortes visíveis (...). Devia viver-se para fazer notícias, mas em vez disso discute-se retenção de líquidos, idas ao cabeleireiro, roupas estreitas de mais ou largas de mais (este segundo caso em menor número), prendas de Natal... ou grita-se com o telefone. Atenção é "com"... não "para o".

Esta senhora abafa, no entanto, a voz de outro colega de secretária que parece os Lusíadas a falar... " vivência, demência, contundente, rejubilante" são algumas das palavras mais simples que ele usa numa frase, que normalmente, berra para todos os ouvidos que estão em seu redor. Ele é contra "jantares de Natal", "prendas da empresa" (mas o relógio que lhe ofereceram até lhe fica bem), "promoções", "prémios", "reuniões" (apoiado), "lazer", "almoçar"... e provavelmente mais uma série de coisas que o deixam no presente estado de constante frustrado.

Uma notícia depois e estão todos cansados. Dói-lhes os dedos, a cabeça, a alma. Não aguentam mais. Mas a culpa, a verdadeira culpa, é dos computadores, que não aguentam esta carga de trabalho, precisando de várias pausas ao longo dia, aproveitando os jornalistas para ir pequeno-almoçar 1, 2 e 3/almoçar/lanchar 1, 2 e 3/aproveitar para comer qualquer coisa várias vezes. Chegam e "vou só tomar um café". Regressam e "vou só à casa de banho". O tempo que estiveram na cadeira foi menor do que o tempo que andaram de elevador para ir ao bar.

Ficam muito chateados quando eu digo que "ninguém faz nada"... respondem que é mentira. Mas a maioria pouco faz. Mesmo alguns dos chefes, que deviam ter nas suas mãos a boa condução da empresa. Mas nada me irrita mais quando ouço... "isso não vale a pena fazer". Porque nada vale a pena.
Raramente respeitam horários, mas gostam de chamar a atenção para os horários que os outros não respeitam. Respondem "se tem de ser". E quase rosnam quando se tenta fazer alguma coisa para andar para a frente. Porque o ritmo deles... é o do "deixa andar".

Para ser mais mansa, posso dizer que isto é como um Jardim de Infância para jornalistas. Estão aqui a brincar e ao fim do dia vão para casa. E quando não se faz trabalhitos, dizem "oh, devias ter feito... mas agora não vale a pena"... e encolhem os ombros. Quando damos por eles, já sairam pela porta.

Tinha de vos confessar isto. Se não dava em maluca.

Beijos
Ziggy

PS: Sim, tem algo de funcionalismo público... uma percentagem suficiente para estarem encostados à sombra da bananeira.

PS2: Há algumas excepções à regra, mas são muito raras. E acabam por se sentir tão deslocados, que ou saiem da empresa ou se convertem em mais um exemplar oficial da preguiça.

PS3: QUERO FUUUUUGGIIIIRRRR DAQUI! Já pensei numa ameaça de bomba... mas conhecendo esta casa, iam ficar todos sentados e não ligavam ao assunto.

Postais de Natal

Olha o meu primeiro postal do Natal 2004!!!!!




É LINDO!!! E também é incrível como concordo com ele sobre o "Nightmare Before Christmas"...

Sobre o Nuno havia tanto para dizer. Acho que é dos poucos amigos do coração (que expressão mais lamechas) que tenho. Ele mora no Porto e eu em Lisboa. Uma vez ele enviou-me uma sms que apenas dizia "Foi bom FALAR contigo. Já tinha saudades". Dessa nunca mais me esqueci. Assim como de muitas outras...

Ele agora também não está a atravessar uma fase muito simpática porque teve um acidente que lhe deixou um braço imobilizado. GAJO!!!! Vai ser em 2005 vais ver!!!!

BJOS GRANDES a ti e à Carla. E à tua mãe...

Ass: Gattaca

terça-feira, 21 de dezembro de 2004

Aniversário

Ontem teriamos feito 1 ano de namoro...

Ass: Gattaca

O síndrome Gato Preto

A conjuntura cosmológica anda a pregar-nos destas partidas. Faz com que tudo nos aconteça ao mesmo tempo e faz-nos sentir como as pessoas mais azaradas do mundo. Ou será simplesmente porque atribuimos a determinados factos demasiada importância? Realmente não sei, só sei que no fim do dia sentimo-nos como o "gato preto", o "patinho feio", a "ovelha negra"... e tudo o que se aproximar de um universo de trevas. Eu costumo acreditar que ao fim de 24 horas, o dia muda e a sorte muda também... mas às vezes isso não acontece e a maré de azares prolonga-se por mais 24 dolorosas horas.
Qual o nosso remédio? Acho que não há cura. Nem placebos, nem mezinhas, nem simpatias, nem medicamentos na farmácia. Resumindo àquilo que o meu "brilhante" médico me receitou e como se fosse possível: "Tenha paciência".
E é o que eu te digo, director Gattaca... tem paciência, que é o que eu tenho tentado fazer... mesmo quando meu teclado está mais manco do que eu e o meu rato ficou paralisado do lado direito... mas o que é que isso interessa? é preciso é paciência!

Beijos
Ziggy

PS: uma nota de esclarecimento sobre o kiko... ele não é assim o homem da minha vida... é giro... mas quer dizer, não vou fugir com ele para o Havai amanhã! Acho eu!

O Surrealismo

Ok. Aqui vai uma pequena tentativa de escrever algo que faça sentir e que resuma o que se tem passado nos últimos dias.

* Sexta-feira festa da Vera LaChapelle. Foi muito gira. Conhecemos a Sónia... A Sónia... A Sónia... O Mindtrap ganhou uma grande fã. Ela só tinha olhos para ele. Até da casa de banho a ouvimos falar para ele. O grande problema é que eu, a Ziggy, a Kikas, o Mindtrap, o Dudu e o Zzztt já tínhamos bebido muito e comido os nossos Space Cakes e por isso o nosso momento com a Sónia foi simplesmente surreal!! Mas este foi bom.
Foi nesta festa que a Ziggy conheceu o Kiko. Amigos, o Kiko tem mesmo muito bom ar... O grupito atrás referido estava com particular interesse neste moçito. O giro foi o meu encontro como ele na Fnac do Chiado. Pois lá ia eu comprar um DVD para oferecer ao meu primo, quando dou de caras com o Kiko. E lá nos cumprimentamos e pronto. Chamada para a Ziggy: “Não imaginas quem eu vi e sozinho...”. De resto já me armei em casamenteiro e tentei lançar as sementes para um possível encontro entre Ziggy e Kiko. Vamos ver... Cruzem os dedos.

* A noite de sexta termina de uma forma muita estranha. Passei 20 minutos sozinho à porta do Purex à espera de encontrar o grupo da festa que já se tinha separado em 2. É que fui colocar a Ziggy nos taxis e voltei para o Bairro. Só que já não estava lá ninguém. Sério!!! Bem enviei sms, bem ligava mas nada. E passados esses 20 minutos lá decidi voltar para o carro. E até que conseguisse pegar nele??? Enfim... É triste.

* Sábado foi o dia da festa do Natal lá em casa. Como diz a Ziggy parecemos o verdadeiro “Kit Festa”. Só que antes acordei super mal disposto e agoniado!! A porra do space cake não deve ter sido bem cozinhado e estava com o estômago às voltas. Do álcool não foi, porque embora tenha bebido muito, só bebi vinho tinto a noite toda. E foi neste estado deprimente que fui almoçar com a minha mãe que entretanto caiu e partiu o ombro esquerdo em 3. Logo está de braço ao peito.
Ela estava sozinha em casa com o meu sobrinho. Foi um almoço super calmo e que me fez muito bem à alma. Fomos almoçar fora os 3. E como a minha mãe não podia pegar no bebé fazia eu as coisas todas. Até mudar fraldas mudei!!!
Á vinda para Lisboa passei pelas Amoreiras para trocar uns ténis e pedi ao Dudu para ir comigo à loja, não fossem os empregados morderem-me. Antes de chegar a casa ainda fui buscar o XRL8 e a Ziggy. Lá está o kit festa... Estava lindo aquele carro. Eram muletas por um lado, casacos por outro, comida em sacos, mochilas, CDs... Um caos.

* Domingo depois do ginásio e de ter visto um rapaz que acho bastante engraçado lá do Holmes, fui almoçar a casa da Mipo (uma amiga minha e da qual estive afastado por diversos motivos). Até aqui tudo bem... Ao inicio da tarde liga-me a minha mãe. Tinham rebocado o carro dela. Passadas algumas horas viemos a saber que afinal tinha sido roubado e que tinha sido abandonado. Entretanto os cabrões dos ladrões rasgaram-nos 3 pneus. Tive de ligar ao JP porque o carro está em nome do pai dele. Sim, comprei-lhe um carro ainda namorávamos. E pronto, falar com ele não foi agradável... Pedi-lhe ajuda e não tive. Enfim... A partir daqui mentalmente fui-me abaixo das canetas.
Para terminar o dia com chave de ouro fiz “O” disparate da minha vida. Mas deste prefiro não falar. Mas este deslize veio instaurar a confusão total na minha cabeça...

* Já eram 04h30 recebo uma sms do meu director da revista a dizer que as instalações tinham sido assaltadas...

Ou seja, em 48 horas a minha mãe parte o ombro, roubam-nos o carro, assaltam a revista e eu faço “O” disparate!!! Tudo isto numa fase que não consigo pensar direito e que preciso de apoio. E tenho recebido muito pouco!!! Para qualquer lado que olhe é um caos! Não podemos parar tudo só por uns dias??

Ass: Gattaca

Coisas que gosto e não posso levar para casa # 2

E pronto. Já sei o que quero para o Natal. E ao contrário do "Chá com Limão", não precisa de ser 96, nem o troco por um berbequim...



Será que alguém me consegue arranjar um namorado como este senhor? Ele é lindo, lindo, lindo, lindo, lindo, lindo!!!
Chama-se Michael Vartan e é um dos actores da série “A Vingadora – A.L.I.A.S”, que é exibida no canal da TV Cabo AXN. Portanto se quiserem babar em frente à televisão já sabem!!!
Aqui ficam mais duas fotos do moço...



Obviamente nunca poderei ter este senhor em minha casa! Mas não custa sonhar não é??




Ass: Gattaca

Luzes de Natal

Há uns tempos atrás tinha pedido aqui no blog para nos enviarem fotos de luzes da Natal. Nada recebemos... Mas o Zoick como é um tipo 5 estrelas enviou um mail com uma foto tirada em Oeiras. Aqui está...



OBRIGADO ZOICK!!! Será que mais alguém quer enviar??

Eu entretanto também já tenho imensas fotos para aqui colocar, mas não tenho forma de as sacar do telemóvel. É que o computador lá de casa era do JP, logo... É mais um problema a resolver. Se tudo correr bem em Janeiro compro um portátil... Vamos ver, vamos ver... Já dizia o Joker no “Batman”: “So many thing, so little time!”

Ass: Gattaca

segunda-feira, 20 de dezembro de 2004

Surreal!!!

E pronto amigos é oficial. O surrealismo e o caos tomaram conta da minha vida. O pior é que não posso fazer mais nada para isto acalmar. Deixem-me digerir tudo e amanhã contou. Ou vou-me esforçar...

Ass: Gattaca

Grande Robbie Williams!

E pronto Ziggy. Finalmente vou concordar contigo... Grande Robbie Williams!!!! Assim é que é falar!!! Sem medos... Sem papas na línguas... Ser frontal.... Falar das coisas sem puritanismos...
Agora já sabemos que o moço vai ser crucificado pela opinião pública. Mas pelo menos a mensagem passou...

“ROBBIE WILLIAMS ELOGIA DROGAS

O cantor britânico Robbie Williams revelou que teria continuado a tomar drogas se isso não o fizesse engordar. Aos 30 anos, o ex-Take That conta que os seus anos de vício de cocaína, ecstasy e álcool lhe valeram os melhores momentos da sua vida. “Acho que quando bebia e tomava drogas e tudo isso... Acho que continuaria a fazê-lo se tivesse a capacidade de tomar decisões e continuaria a fazê-lo se não ficasse do tamanho de um hangar de aviões, sabes, porque foram tempos óptimos”, afirmou o cantor à Real Radio. “Alguns dos melhores momentos da minha vida aconteceram sob a influência de droga... e não estou a dizer para tomarem drogas, miúdos, mas eu gostei», acrescenta Williams. A entrevista de duas horas a Robbie Williams é transmitida no Dia de Natal.”
In cotonete.pt

Ass: Gattaca

Ziggy is a popstar... with a wounded knee - FINAL CHAPTER, Parte II

Finalmente fiz a minha árvore de Natal. Começava a ser rídiculo... a cinco dias no Natal não ter a árvore. Sim é artificial e é pequena. Nada de coisas gigantes como a do director Gattaca. Até porque a minha árvore se aguenta pouco tempo de pé, por causa da minha gigantona cadela. Aliás, a árvore está presa com fita cola ao corrimão da escada para evitar desastres ecológicos.
Este ano decidi inventar a decoração. Fiz os Bolinhos de Sal com os ingredientes que DouDou e Vera LaChapelle me tinham oferecido nos anos. Tenho corações, estrelinhas e bonecos pendurados com fitas verdes e vermelhas. Estive uma hora a amassar e a cozinhar os bonecos; mais meia-hora a por as fitas; depois as luzes; depois as estrelinhas à volta da árvores; e por fim utilizei toda a fita vermelha para colocar em todos os ramos da árvore... 10 metros de fita, que era para presentes, mas isso agora não interessa nada. (Mais logo prometo uma foto mais ilucidativa)

Caros amigos, o fim de semana foi muito muito muito trabalhoso... e de nada produtivo. Sexta-feira tivemos o jantar de Vera e sábado a festinha de Natal. Eu fiquei com o presente do Mindtrap... o DouDou ficou com o meu (agora dele) boneco de neve. Foi bonito. Cozinhámos camarões, cogumelos, camarões outra vez. Eu inventei um novo bolo: o Bolo Três Camadas..... era para ser uma torta de morango, mas partiu-se aos bocados, resultando então no Bolo Três Camadas. Aspecto: HORRÍVEL; Sabor: DELICIOSO! Por fim, o director Gattaca fez a salada que estava a escorrer desde o início da noite e ainda se comeu Tagliatelle com Cogumelos. Queijos, tostas, bolachas, frutos secos, chocolates e rebuçados. Não faltou nada... e foi tudo preparado 3 horas antes! O que me faz pensar que nós somos: o Clube da Festa Portátil! Tipo kit. Chamem-nos e nós fazemos a festa... não garantimos pegar nas canas no fim!

No meio disto tudo, o meu pobre joelho queixou-se, mas aguentou-se à bronca, e até rejubilou quando conheceu o Kiko, um belíssimo exemplar da espécie masculina heterossexual solteira... resta-me saber a qual dos graus hetero ele pertence: ao dos normais (namorados, noivos, casados e que seguem essa linha considerada normal no quotidiano, mesmo que acabem por se separar e passar algum tempo com dor de corno) ou dos anormais (vivem habitualmente sozinhos, servem para ser fuck buddies/one night stands/casos...etc e não vou citar nomes!).

No meu fim de semana ainda houve tempo para passar na loja dos animais... e quase trazer para casa uma Rottweiller de 5 meses. Ela era TÃO linda! Mas eu não gosto de dar dinheiro pelos animais. Acho horrível. Ela estava de patas penduradas nas grades da loja a olhar para mim a dar ao rabo... quase quase quase... se ela ficasse comigo... ia chamar-se Padmé. Saí de lágrima no canto do olho. Gostava tanto. Eu sei que discutem muito comigo, porque eu meto os animais em apartamentos. Mas levo-os a passear sempre e arranjei uma casa grande com varandas; e tenho outra na praia e outra no campo para os fins de semana. É mais complicado se tivesse 2 cadelas, mais a 3ª que está com o meu avô, mas ia conseguir-se.

Beijos a todos.
Beijos à Padmé!
Ziggy

sexta-feira, 17 de dezembro de 2004

Ziggy is a popstar... with a wounded knee - FINAL CHAPTER, Parte I

Apenas aos interessados... aos outros ignorem este post:

Tive mais um encontro imediato de segundo grau com o meu médico, o giro, (o terceiro grau é para personagens diabólicas e maquiavélicas).

Diagnóstico:
Finalmente, e três meses depois, chegaram a uma conclusão sobre o meu joelho: tenho a rotula amolgada, para falar em português de Portugal... mas sublinho que não foi bem isto que o médico disse... foi o que ele trocou em miúdos.
(Ele não quer que eu diga assim, porque podem pensar que ele é um médico descuidado... e não é!).
Feito o diagnóstico e a análise das mil imagens do âmago do meu joelho, a consulta deambulou por terrenos do disparate benévolo. O que pode fazer uma pessoa com a rotula amolgada senão gozar com a situação? Engraçado, que a páginas tantas, conversa puxa conversa daquela de deitar fora, o senhor estava a dizer-me que "se eu pudesse apresentava-lhe a minha avó"... ao qual eu quis responder... "e eu apresentava-lhe a minha"! Com certeza. Isto é um passo de intimidade não acham? OK... ele também disse que eu era refilona... mas se há três meses que tenho dores, o que é que eu posso fazer com um representante do Sistema Nacional de Saúde senão barafustar?!

Terapêutica:
Não posso fazer exercício. Não posso fazer esforços. Tenho de ter muita paciência, tomar anti-inflamtórios e continuar a fisioterapia.

Observações médicas:
Temos encontro marcado daqui a 3 semanas. Até lá, continuo coxa, sem encanto, sem glamour, e com as minhas muletas, e sem conhecer a avó do senhor, que pela conversa já não se encontra entre nós... nem a minha.

Observações extracurrículares:
Ele continua giro!

Beijos
Ziggy

Palavras que não existem no Microsoft Word #5

Areão, monição, décibeis, desinibido, Vodka, acabadinho, cigarrinhos, coisinhas, consumista

Pensamentos, Dúvidas e Comentários # 2

* Odeio o Cêgripe. Faz-me transpirar, ficar com calores e
nariz a pingar...

* Como será a noite de dia 24 de Dezembro de todos aqueles
que tanto criticam o Natal por ser uma época consumista,
que fazem baixos assinados, que manifestam-se nos blogs e
fóruns? Será que não dão presentes a ninguém? Nem um único
presente? Juntam-se às respectivas famílias e não dão nada
a ninguém e apenas comem? Viva a hipocrisia dos que
apontam os erros mas depois compactuam com eles!!!

Garfield e o Natal

Não resisti...







FELIZ NATAL A TODOS!!!

Ass: Gattaca

quinta-feira, 16 de dezembro de 2004

O Pai Natal

A propósito de um texto do blog do Pedro (omeuladoesquerdo.blogspot.com) escrevi um comentário. Só que pelos vistos era muito extenso e não pode ficar todo lá. Por isso aqui fica o meu comentário na integra...

“Durante muito tempo acreditei no Pai Natal, assim como as minhas irmãs e os meus primos. A minha família é pequena (2 tias, 2 tios, 2 primos, 2 irmãs e a minha mãe – depois existe o lado do meu pai mas isso são outras histórias) e junta-se toda no Natal. Antigamente na noite de 24 para 25 o meu Tio mascarava-se de Pai Natal. E a magia era tanta que até os adultos acreditavam. Lembro-me de numa das últimas aparições do Pai Natal ver a minha mãe a chorar.
Tínhamos uma casa fabulosa e enorme em Alcabideche (manda construir pelo meu avó) e era aí que todas as noites de 24 de Dezembro o Pai Natal aparecia. Todas as luzes eram apagadas restando apenas as da árvore de Natal e da lareira. Era em torno da lareira que todos nos reuníamos para receber o Pai Natal e os presentes. E ele com uma voz rouca ia distribuindo os presentes. Não me lembro de quanto tempo tudo isto demorava. Era um ritual. No final todos dávamos um beijo no Pai Natal e ele ia-se embora com o seu sino...
Tudo era tão mágico e sugestivo que lembro-me de no último ano, antes de me dizerem que o Pai Natal não existia, vi o trenó dele no céu! Juro que vi.
Lembro-me também do que chorei quando descobri que o Pai Natal não existia. Lembro-me do choro da minha irmã Manuela quando lhe aconteceu o mesmo anos mais tarde. Tivemos de desmascarar a magia quando elas começaram a ser gozadas pelos amigos por acreditarem no Pai Natal.
Por tudo isto só posso agradecer à minha família por ter crescido a acreditar (e talvez ainda acredite) no Pai Natal.”

Obrigado Pedro por me fazeres ter recordado tudo isto numa altura em que ando a repensar as minhas referências...

Ass: Gattaca

How The End... Always End

Como é sabido de todos, nos últimos tempos não ando a viver a melhor fase da minha vida. Nem de longe nem de perto. Infelizmente desde que as coisas com o JP acabaram ainda fiquei pior. Já não era um gajo fácil e simples e agora muito menos. Não sei que se passa comigo! Sei que estou revoltado com uma série de coisas, ando com pouca pachorra para muita coisa, ando lixado com a vida, com as ideias confusas e baralhadas. Também vos posso dizer que estou violentamente a tentar resolver tudo isto, mas todos os dias algo acontece que me deixa novamente desarmado.
Também acho que não posso, nem quero, transformar o JP no meu bode expiatório e por isso mesmo culpo-me por muito do que estou a viver actualmente... Às tantas dei mesmo o berro!!! Serão isto os 30?

E tudo isto para explicar que ando a vasculhar os meus CDs mais antigos... E eis que dou de caras com o velhinho “Vinyl” dos Gift. Um dos meus temas favoritos deste álbum sempre foi o “How The End... Always End”...

"How The End... Always End"

"Look at me
Here is my melody
It's not a symphony

Sounds like the end to me
Sounds like the time we spent
Sounds like the end... always end
Sounds like the time we kissed
Sounds like all good we missed

Sounds what it means to be
It's not a symphony
Sounds what it means to be
It's not a symphony

And every time
I lay down in my bed and rest down my head
I wait for the end

I don't know what I've yearned
Don't know what I've expected
Cause the end it's always the end"


Entretanto encontrei estas fotos no site oficial dos The Gift. São da autoria de . Espero que ninguém fique chateado por utilizar as fotos do Jorge Humberto (não faço ideia quem ele seja!). Basicamente é só para terem uma pequena noção do que se viveu nos concerto de apresentação de “Am/Fm”







Quanto ao resto prometo que estou a cuidar de mim e a tentar passar por cima disto tudo. Só que realmente tenho muitas semelhanças com as viúvas sicilianas... É tudo um drama... Mas é sentido...


Ass: Gattaca

Humanos & António Variações # 2

Conforme o prometido aqui fica mais uma letra de um tema do álbum “Humanos”. Desta vez é apenas cantado pelo Camané. E quem ouvir o disco vai perceber que a voz de Camané é tão semelhante à de António Variações que se torna arrepiante...

“Quero é Viver”
Letra e música de António Variações, Arranjo Hélder Gonçalves, Nuno Rafael e Sérgio Nascimento

“Vou viver
Até quando eu não sei
Que me importa o que serei
Quero é viver

Amanhã
Espero sempre um amanhã
E acredito que será
Mais um prazer

E a vida
É sempre uma curiosidade
Que me desperta com a ideia
Interessa-me o que está para vir

E a vida
Em mim é sempre uma certeza
Que nasce da minha riqueza
Do meu prazer em descobrir
Encontrar, renovar, vou fugir ao repetir”


E é tão estranho ouvir estas palavras sabendo que foram escritas por alguém que sabia que ia morrer... Faz-nos pensar que tudo é tão relativo e que só se dá valor ao que temos, quando sabemos que vamos perder...

Ass: Gattaca

quarta-feira, 15 de dezembro de 2004

Delírio Natalício



Ass: Gattaca

Parabéns Vera LaChapelle

A Vera Sushi LaChapelle, normalmente a nossa fotógrafa de serviço em parelha com DouDou LaChapelle, também faz parte do nosso clube! E hoje faz aninhos! Uma data para recordar! Por isso aqui vai a nossa homenagem!!!!!!




Directores do Clube,
Gattaca e Ziggy

Humanos & António Variações

Sobre o novo projecto nacional chamado os Humanos já muito foi dito nos últimos tempos na nossa comunicação social. E ainda bem que assim foi. De qualquer forma para os mais esquecidos aqui ficam alguma referências:

Os Humanos são: Camané, David Fonseca, Manuela Azevedo, Hélder Gonçalves, Nuno Rafael, João Cardoso e Sérgio Nascimento.
O mote: gravar pela primeira vez alguns temas de António Variações que estavam perdidos em algumas cassetes deste músico. Não querendo mentir, creio que eram mais de 40 cassetes cheias de sons, músicas e letras. Foi Nuno Galopim que teve o trabalho de pesquisar e ouvir todas as cassetes para escolher algumas músicas para serem gravadas. O resultado final é este álbum dos Humanos

Ontem finalmente consegui pedir emprestada uma cópia deste álbum para ouvir nos próximos dias. É simplesmente perfeito... Um aspecto curioso deste disco, é que em todas as músicas se nota a presença de António Variações mesmo sem nunca ouvir a sua voz... Através das letras, dos sentimentos transmitidos, dos ambientes das músicas...
Para mim é sem dúvida um dos álbuns do ano, mesmo ao lado do “Am/Fm” dos Gift.

Nos próximos dias vou colocar aqui as letras de algumas músicas de “Humanos”. Hoje é a vez de “Rugas” o meu tema preferido de todo o álbum: pela letra minimalista, pelas arrepiantes interpretações de Manuela Azevedo e Camané, pelo reque-reque, pelos ambientes de bolero, por tudo... De ficar sem conseguir respirar... A perfeição!


“Rugas”
Letra e música de António Variações, Arranjo Hélder Gonçalves e Manuela Azevedo

Rugas...
Já começo a ter as primeiras rugas
Rugas...
Começam-me a nascer as primeiras rugas

Rugas de chorar
Rugas de sorrir
Rugas de cantar
Começo a franzir
Rugas de chorar
Rugas de sorrir
Rugas de cantar
Rugas de sentir
Rugas...

Rugas...
Já começo a ter as primeiras rugas
Rugas...
Começam-me a nascer algumas rugas

Rugas de chorar
Rugas de sorrir
Rugas de cantar
Começo a franzir
Rugas de chorar
Rugas de sorrir
Rugas de cantar
Rugas de sentir
Rugas...

Ass: Gattaca

Piadinha do Dia # 8

“A indústria mundial de preservativos chegou finalmente a um consenso em relação ao tamanho das camisinhas masculinas.

Os tamanhos, definidos por letras, são: S, M, L, XL e OMG, de acordo com o centro de pesquisas da UMIP – União Mundial das Indústrias de Preservativos.

Os significados das siglas são:

S = Small
M = Medium
L = Large
XL = Extra Large
OMG = Ohhhhhh My God !!!!!!!!!!!!!!! “

Ass: Gattaca

falsas seguranças

Não gosto de falsa segurança, se é que este termo pode existir. É qualquer coisa como uma varanda que nos protege da chuva... é uma falsa segurança porque chove na mesma e mais cedo ou mais tarde acabamos por nos molhar.
As falsas seguranças são piores que as inseguranças. Mais vale ser inseguro.
Viver numa falsa segurança torna as pessoas arrogantes e incivilizadas, mal educadas, descuidadas. Quem é inseguro, pergunta antes "porquê?" ou "como?". Quem vive numa falsa segurança fecha-se no seu mundo e afasta quem percebe rapidamente a sua condição de vida, mesmo que seja só um detalhe.
A falsa segurança obriga-nos a viver aprendendo a girar várias bolas no ar. Quando uma cai, chuta-se para baixo da mesa e ninguém viu. Aparentemente, tudo está bem.
No fundo, a falsa segurança nada mais é que um jogo de aparências.
E vocês sabem que as aparências iludem.
E sabem também que odeio gente que quer parecer ser mas não é.

Beijos
Ziggy

terça-feira, 14 de dezembro de 2004

O Tempo

E de repente olho para o calendário e faço as minhas contas... Já passaram 17 dias desde que eu e o JP nos separámos. São poucos dias eu sei, mas para mim já parece uma eternidade. É estranho... Não consigo explicar o que sinto neste instante. É uma confusão de sentimentos e pensamentos!

Por um lado apetece-me chorar, por outro não
Por um lado apetece-me ligar-lhe, por outro não
Por um lado estou feliz, por outro não
Por um lado não penso nele, por outro não
Por um lado estou contente, por outro não

Apenas sei que tenho um vazio na minha vida que não quero preencher, nem pensar nele. É mais um vazio com o qual vou ter de aprender a lidar. O tempo não o faz esquecer, nem mata a saudade, apenas nos ensina a viver com ele.

Ass: Gattaca

Conversa de Directores # 6

Ziggy diz: COMIIIIIIIIIIIII MACCCCCCCCCCCCCCCC DONALDSSSSSSSSSSSSSSSSSSS
Gattaca diz: BOA! BOA! Rejubilo de alegria!!!
Ziggy diz: rejubila prai, q eu tenho o estomgo cheio de minhocas mcdonalds
Gattaca diz: mas não era o que querias? Minhocas mcdonalds no estomago?
Ziggy diz: sim
Gattaca diz: então que se passa?
Ziggy diz: nada
Gattaca diz: devias estar feliz, histérica e contente
Ziggy diz: e estou. ker dizer nao ha-de ser por um mcdonalds
Gattaca diz: ok num parece. então é pq?
Ziggy diz: cansada
Gattaca diz: rejubilas pq estás cansada?
Ziggy diz: nao eu disse para tu rejubilares prai

Alguém entendeu o que queria a Ziggy? Eu devia ou não ter rejubilado?

Ass: Gattaca

Coincidências... ou a verdadeira cabala

Terramoto que se sentiu ontem em Portugal e Espanha, de magnitude 5, 4 na escala de Richter foi causado por Pedro Santana Lopes.

Santana Lopes tem uma ligação cósmica óbvia a terramotos nesta zona e este foi causado pelo distúrbio de energias sentido pelo Primeiro-Ministro com toda a crise política que se vive actualmente.

Quais as provas desta ligação? São demasiado evidentes, mas dado que há gente que é demasiado distraída, vou mesmo assim enumerá-las.

Comecemos por analisar a ligação histórica de Santana Lopes aos terramotos na nossa zona, nomeadamente ao mais famoso e de maior magnitude de todos - o de 1 de Novembro de 1755.

Quantas letras tem "Pedro Santana Lopes"? Contem-nas: 17 letras.
Quantas letras tem "Pedro"? 5 letras.
Quantas letras tem "Lopes"? 5 letras.
Vejam bem: 17 letras, 5 letras, 5 letras. 17 5 5 - 1755, o ano do Terramoto.

Querem mais provas?
Santana Lopes nasceu em 1956. O Terramoto foi em 1755. Qual a diferença entre 56 e 55? Um. Em que dia foi o Terramoto? Um (de Novembro).

Mais uma?
"Pedro Santana Lopes", como já vimos, tem 17 letras.
"Terramoto de Lisboa" tem - adivinhem!... - 17 letras!!...

Para finalizar: quer "Pedro Santana Lopes", quer "Terramoto de Lisboa" têm 2 'e', um 'd' e um 'l'... Com estas letras escreve-se a palavra "dele". De quem é o Terramoto afinal? Dele. De Pedro Santana Lopes.

Passando agora ao terramoto de ontem - querem provas da ligação com Santana Lopes?

Segundo os dados do Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica, o sismo de ontem teve uma magnitude de 5,4 na escala de Richter. 5,4. Quantos filhos tem Santana Lopes? 5. Quantos meses esteve no Governo como Primeiro-Ministro? 4.

O sismo deu-se às 14h16 de ontem. Somemos os números: 1+4+1+6=12. Quantas letras tem "Santana Lopes"? Exacto - 12!

Mais uma, para terminar: o epicentro localizou-se nas coordenadas 36º43' Norte e 9º76' Oeste. Somemos os números: 36+43=79. 9+76=85. Em que ano se licenciou Santana Lopes (em Direito)? Exacto, 79. Até que ano foi presidente da Comissão Política Distrital da Área Metropolitana de Lisboa do PSD? Correcto, 85...

Podíamos seguir, mas julgo que já são suficientes provas - se há um responsável pelo abalo sentido ontem, só pode ser um único: Pedro Santana Lopes...

---#---
Amigos não aguentei, tinha de publicar isto!

Beijos
Ziggy

Pensamentos, Dúvidas e Comentários # 1

- Porque será que tudo o que é gay tem um blog?

- Porque será que em todos os Blogs as pessoas querem mostras que são super modernas, fashion, que conhecem imensas coisas estranhas que não interessam a ninguém, que vão a todo o lado e por aí fora...

- Porque é que o Céu é azul?

- A que cheiram as nuvens?

Ass: Gattaca


segunda-feira, 13 de dezembro de 2004

Coisas que gosto e não posso levar para casa # 1



Neste momento vocês estão a pensar: “Este gajo ficou louco? Então não pode ter esta porra em casa?”

Pois não posso por três motivos:

1º - Acho 50 euros um pouco caro para uma cama de gato;
2º - As minhas gatas nem sequer lá iam colocar uma pata, quanto mais dormir;
3º - Ocupa espaço e não é útil, e já tenho a casa cheia de porcarias.

Acho que nunca tive um animal que dormisse na cama respectiva. Sempre dormiram em todo o lado mesmo nas cama fofitas que lhes comprei. Adorava saber como é que os donos conseguem colocar os gatos a dormir nestas coisas!

Mas esta é tão gira... Só que gastar 50 euros para nada? Nop

Ass: Gattaca

Será que cumpri?

Na passada sexta-feira proponha-me a fazer uma série de coisas este fim-de-semana. Está então na altura de verificar se me portei bem ou não...

Lia-se então:

“O que vou fazer esta fim-de-semana, ou melhor que pretendo eu fazer: cinema, veterinário com as gatas, ginásio, almoço com a mãe, teatro, saída nocturna, arrumar a casa, aspirar, arrumar a roupa, lavar as calças de ganga, limpar o caixote das gatas, regar plantas, comprar últimos presentes de natal...”

Cinema – não
Veterinário – sim
Ginásio – sim (mas não tanto como queria)
Almoço Mãe – sim
Teatro – sim
Saída nocturna – sim
Arrumar casa – mais ou menos
Aspirar – não
Arrumar roupa – sim
Lavar as calças de ganga – sim
Limpar o caixote – sim
Regar plantas – sim
Comprar últimos – não

Num universo de 13 tarefas:

9 - sim
3 - não
1 - mais ou menos

YES!!! YES!!!! Não me saí mesmo nada mal.

E a tudo isto ainda juntei um almoço e jantar com a Ziggy, um lanche com o Dudu, o ZZZZT e a Vera La Chapelle. Uma ida às Amoreiras comprar ténis e mais umas coisinhas tão insignificantes que nem me lembro... Agora queremos o próximo fim-de-semana. FESTA DE NATAL!!!

Ass: Gattaca

“Paradise is Here”

Esta foi a música que me acompanhou diversas vezes durante o fim-de-semana. A grande Tina Turner... Foram grandes viagens ao passado!!! Porque não podemos voltar aos anos 80??? Porquê??? A Humanidade era tão mais ingénua e feliz... Tudo era mais inocente. Os sonhos eram tantos e possíveis!

De qualquer forma foi esta música que me acompanhou às 04 e tal da manhã quando regressava a casa depois de ter estado no Fluid à conversa com bons amigos, a beber vodka com sumo de maçã verde acabadinho de fazer, a fumar os meus cigarrinhos franceses e a ouvir a música do DJ Al.

Fotografei com a memória a Calçada do Combro completamente vazia, as luzes de Natal acessas a reflectir no chão molhado, a janela do carro aberta, o frio da rua a invadir o interior do carro, a voz rouca da Tina Turner e um sentimento de felicidade do tamanho do universo. Por 4 minutos fui o gajo mais feliz à face da terra... E naqueles momentos o Paraíso estava ali... E não sei explicar porquê, a letra desta música até fala num amor...

“Paradise is Here”
Tina Turner - (P. Brady)

“You say you wanna live some, move out into the fast lane
You say you need excitement to make you come alive
Some place a million miles from the shadows that surround you
I look for your attention, you're lost out in the future
Where lovers ask no questions and shadows never fall
Some pilgrim bound for paradise, no compromise

Paradise is here, it's time to stop your crying
The future is this moment and not some place out there
Tonight I need your love, don't talk about tomorrow

Right now, I need your loving
Right now, give it to me
Right now, I want your loving
Rigt now, now now now now

You talk about your new plans to move on up the stairway
You dream about the high life that's waiting for you there
A world of fame and fortune just around the corner
I don't need no high life to make me feel a woman
I don't need to reach for no castles in the sky
Just put your arms around me, devour me

Paradise is here, it's time to stop your crying
The future is this moment and not some place out there
Tonight I need your love, don't talk about tomorrow

Right now, I need your loving
Right now, give it to me
Right now, I want your loving
Right now

Don't say tomorrow
To give me sorrow”

Ass: Gattaca

domingo, 12 de dezembro de 2004

Do they know it's x-mas time...

Suponho que, quem aqui vem ao Clube, se lembra desta canção.
O projecto Band Aid, que juntou os artistas mais populares em Inglaterra há 20 anos, renasceu em 2004 para de novo ajudar África, reunindo os artistas dos dias de hoje, como Chris Martin, dos Coldplay, Robbie Williams, Joss Stone, Dido... e o repetente Bono.
Estas não costumam ser as "minhas" causas. Mas desta vez, porque é música e porque me lembro perfeitamente da primeira versão desta causa, canto "Do They Know It's Christmas?".
O single está à venda em Portugal e custa cerca de 5 euros. Não custa ajudar né?

Band Aid 20 - Quem canta o quê:
It's Christmas time, there's no need to be afraid.
At Christmas time, we let in light and we banish shade
Chris Martin (Coldplay)
And in our world of plenty we can spread a smile of joy.
Throw your arms around the world at Christmas time.
Dido
But say a prayer, Pray for the other ones.
At Christmas time it's hard, but when you're having fun.
Robbie Williams
There's a world outside your window, and it's a world of dread and fear.
Sugababes
Where the only water flowing
Fran Healy (Travis)
Is the bitter sting of tears
Fran Healy and the Sugababes
And the Christmas bells that ring there are the clanging chimes of doom
Fran Healy and Justin Hawkins (The Darkness)
Well tonight thank God it's them instead of you
Bono (from U2)
And there won't be snow in Africa this Christmas time
Will Young and Jamelia
(Oooh) Where nothing ever grows, no rain nor rivers flow
Ms Dynamite and Beverly Knight
Do they know it's Christmas time at all?
Group of 10 and Joss Stone
Here's to you
Tom Chaplin (Keane)
Raise a glass for everyone
Justin Hawkins
Spare a thought this yuletide for the deprived, if the table was turned would you survive?
Dizzee Rascal
Here's to them
Busted
Underneath that burning sun
Justin Hawkins
You ain't gotta feel guilt just selfless, give a little help to the helpless
Dizzee Rascal
Do they know it's Christmas time at all?
Joss Stone and Justin Hawkins
Feed the world
Tom Chaplin
Feed the world
Tom Chaplin and Chris Martin
Feed the world
Tom Chaplin, Chris Martin and Sugababes
Feed the world, let them know it's Christmas time again (repeated)
Todos
Wooo
Fran Healy
Feed the world
Group of 10
Feed the world (repeated to end)
Todos

Beijos
Ziggy

Um acrescento:
Coisas grandes como estas ajudam a lembrar que há preocupações maiores na vida do que detalhes do dia a dia.
Há coisas que não têm explicação, há pessoas que não têm educação, há pessoas que simplesmente merecem dó... ou nem isso.
Não vou remoer mais as dores de cotovelos dos outros na minha cabeça... porque vendo bem eu fico a ruminar e quem devia importar-se anda a divertir-se, sempre, twenty four seven, a fingir que é gente. Gente que é gente não é assim. Ou então há gente muito diferente e começo a acreditar que há vidas (menos evoluídas claro) noutros planetas.

Pois então, cantemos:
It's Christmas time, there's no need to be afraid.
At Christmas time, we let in light and we banish shade
And in our world of plenty we can spread a smile of joy.
Throw your arms around the world at Christmas time.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2004

O fim-de-semana

E cá vamos nós para mais um fim-de-semana...
E que tenho eu feito nos últimos dias? Ouço constantemente o novo álbum dos Gift. É curioso o que um concerto faz. Antes de ir ver o concerto achava alguma piada ao álbum, mas sem qualquer destaque especial. Então o “Am” ouvia como som se fundo. Agora a maioria das músicas diz-me muito. E para mim é sem dúvida um dos discos do ano. Mas para estas coisas de tops e afins existem os outros blogs. Eu abstenho-me!

Olha e não sei como acabar este post... Estou cansado e farto de estar na rádio...

O que vou fazer esta fim-de-semana, ou melhor que pretendo eu fazer: cinema, veterinário com as gatas, ginásio, almoço com a mãe, teatro, saída nocturna, arrumar a casa, aspirar, arrumar a roupa, lavar as calças de ganga, limpar o caixote das gatas, regar plantas, comprar últimos presentes de natal... Eu acho que me estou a enganar. O fim-de-semana só tem 48 horas... Na segunda logo digo o que consegui fazer...

Ass: Gattaca

Os Falecidos

Eu e o JP cada vez estamos mais afastados e frios. Agora é só mesmo aquela primeira conversa de gente educada no msn e pouco mais. É giro ver isto. Mas o mais giro vai ser no sábado quando nos vamos voltar a encontrar. Vamos ao São Luiz ver a Ana Bola e a Maria Rueff. Vai ser lindo vai...

Também quase advinho que daqui a uns meses as coisas voltam a ficar mais próximas e seremos novamente amigos próximos. Porque será que tudo é sempre igual? Hoje estive a fazer contas à minha vida emocional e pela primeira vez falei em 6 exs!! Foi estranho! E realmente descobri que os meus namoros cada vez são mais curtos...

1º Namorado – Luís – meia dúzia de meses – não moramos juntos
2º Namorado – Nuno – 2 anos e meio – moramos juntos
3º Namorado – Nuno – 3 anos e meio – moramos juntos
4º Namorado – Rui – nem me lembro, mas também não quero
5º Namorado – Paulo – 1 ano e dois meses (se não me engano)
6º Namorado – JP – 11 meses (moramos juntos quase 2 meses)

É um gráfico giro!!! A minha mãe se o visse só me dizia que isto lhe fazia imensa confusão. Que no tempo dela não era assim... E que passados 12 anos ainda não conseguia entrar o porquê de ser gay. Uma vez cheguei-lhe a dizer que nem eu entendia.... LOLOL.

Mas será esta uma tendência geral? Ou apenas comigo? Certo é que ainda hoje falava com a M. aqui na rádio sobre namoros e afins e lhe dizia que cada vez é mais complicado entregar-me a alguém. Que agora era incapaz de ir morar com alguém de um momento para o outro como fiz com os Nunos. O melhor mesmo foi com o segundo Nuno. Comecei a namorar com ele numa Segunda-feira e na Sexta-feira morávamos juntos. E durou 3 anos e tal. Hoje somos os melhores amigos. Sei que nos maus momentos posso contar com ele. Nos bons já não é bem assim...

Ela concordou comigo e disse que eu tinha um problema em estar sozinho. Em parte tem razão, mas por outro lado está errada. Gosto de estar sozinho. Gosto de fazer as minhas coisas sem ter de dar justificações a ninguém. Gosto de ter os meus horários. Mas é tão triste não ter ninguém ao nosso lado.

Só que não podemos ter tudo não é?

Ass: Gattaca

New Look!

Eu tenho um amigo, que por acaso já não vejo há muito tempo, que dizia: "ou mudo de mulher, ou mudo de carro!" Na mesma, ele não podia ficar!
Comigo passa-se um pouco a mesma coisa, mas num âmbito diferente: ou mudo de gajo ou mudo de penteado... provavelmente porque preciso de outro gajo e o velho molde de cabelo já não está com nada! Agora estou muito mais à frente!
E eis que me entrego nas mãos da Maria João! Uma mestre dos cabelos, que penteou muitos desfiles e sessões fotográficas nacionais e internacionais.
Ela sabe o que faz. Mesmo quando me pintou o cabelo com madeixas cor-de-laranja! Desta vez não deixei! Mas saí na mesmo com o meu ar de louca! O meu cabelo fica de pé! (se calhar nesta foto não se vê bem! mas em breve haverá novo ramalhete de imagens do clube!)

Será que assim dou conta do médico?!

Beijos
Ziggy, a louca!

quinta-feira, 9 de dezembro de 2004

Se lhe fizerem uma pergunta idiota... # 4

Pego no talão de cheques e numa caneta para pagar uma conte. Então o empregado pergunta:

- Vai pagar com cheque?

- Não, vou fazer um poema nesta folhinha.

Ass: Gattaca

Conversa de directores # 5

É terça-feira dia 7 de Dezembro, véspera de feriado nacional. Os dois directores conversam sem nada de especial em mente... São 23h12...

Ziggy quer o coelhinho da quinta diz: ok.. olha.. ele encravou em duas teclas... no L e no O.... que soma LO e repetidamente LOLOLOLO que significa ahahahah... que tb sao 2 teclas, o q significa q vai tudo dar ao mesmo

Gattaca diz: é. tudo igual. eu gosto do lol

Ziggy quer o coelhinho da quinta diz: lololololo

Gattaca diz: tens de terminar com l. é sempre lol. conjuntinhos de lol

Ziggy quer o coelhinho da quinta diz: AHHHHHHHHHHH. pera. LOL LOL LOL LOL. ok. prontus agora sim

Gattaca diz: nop. tudo junto

Ziggy quer o coelhinho da quinta diz: ek assim conta-se melhor

Gattaca diz: lol. Ok


Ass: Gattaca

PS – Agora perguntem à Ziggy quem é o coelhinho da Quinta...

Ressonância frenética!

Ziggyzinha arrastou-se mais uma vez para o hospital da CUF. Desta vez sem o doutor na mira, porque ia fazer a célebre ressonância magnética.
Odeio médicos e hospitais e coisas afins, já tinha dito. Fujo deles a sete pés. E nunca ninguém me explicou o que era uma ressonância magnética. Ninguém me disse que iam enfiar-me num caixão branco, como no 5º Elemento, e só ficava com os olhinhos de fora e uns tampões nos ouvidos por causa do barulho da máquina.
Foram 15 infinitos minutos de claustrofobia e pânico. Eternidade. O tempo só voa quando nos estamos a divertir!
Por isso, ficou aqui estabelecido: mais ressonâncias magnéticas só na presença do médico ortopedista que me atende... só porque tenho pavor de coisas fechadas e assim; e além disso, estava MUITO frio e precisa de alguém que me aquecesse as mãos e me sossegasse o espírito, sem ser um exercício de Yoga.
Na próxima vez, nas observações da marcação, escreve-se:
Em jejum, sem comer nem beber, com presença obrigatória de médico prescritor na sala da RM. Obrigada!

Beijos
Ziggy

SOS União Zoófila

Amigos,
Está na hora de começarmos a ajudar os animais!
A União Zoófila precisa de ajuda para manter os animais que tem no canil. Toda a ajuda é preciosa, por isso cada um contribui com o que quiser.
Mantas e cobertores já têm suficientes, mas falta-lhes comida seca para cães e gatos, coleiras, casotas e camas, entre outros bens.
Não se esqueçam que também podem apadrinhar animais ou adoptar temporariamente um cão ou um gato.
Façam qualquer coisa pelos animais!
Espreitem aqui:
União Zoófila

Beijos
Ziggy

terça-feira, 7 de dezembro de 2004

Os últimos dias...

O concerto do Gift deitou por terra as minha fracas muralhas que ergui após a minha separação do JP. O dia de hoje tem sido um inferno. Ando completamente de rastos. E o comentário do JP deixado no meu outro texto sobre a música também não ajudou nada!!! Desculpa dizer isso mas é verdade, chegou mesmo a magoar.

De resto que tenho feito eu nos últimos dias... Hum, deixa cá ver... No ginásio mal tenho posto os pés, ao cinema mal tenho ido, na rádio não consigo cumprir o meu horário, tenho-me fechado em casa, levei a minha gata mais nova à esterelização, a minha mãe partiu um osso do braço, ando mais mal disposto e super irritadiço.

Só que nem tudo foi mau.

No sábado fui ao jantar de anos de uma amiga do Xrl8. Foi uma terapia gira: ele ia encontrar o ex e não tinha vontade e eu queria ficar em casa na depressão. Foi matar dois coelhos de uma vez só!
Certo certo é que a noite até foi bem divertida. Bebi imenso. O que gosto de vinho tinto. Depois andamos a passer por vários bares da cidade. E FINALMENTE experimentei o tão famoso cocktail Cosmopolitan. Amigos é uma porcaria. LOLOL. Nunca pensei. Eu tirei fotos, mas agora não tenho computador para as transferir.

No domingo seguinte fiquei em casa até perto das 16h e depois decidi ir para as compras de Natal para o Chiado. Está quase tudo despachado.

E que mais tenho eu feito? Pensado muito. Mesmo muito na vida. E sabem o que é pior? Não consigo chegar a qualquer conclusão! Zero!

Ass: Gattaca

PS – Sabem o que é mais giro? Desde que se tornou oficial a minha separação do JP, imensa malta conhecida têm vindo ter comigo. Nem imaginam o que tenho descoberto. Desde exs de amigos meus que dizem que sempre me acharam piada, até a novas investidas... É estranho. Acho que está tudo louco!

Palavras que não existem no Microsoft Word #4

Sortudos, Mercedes, Gattaca, Ziggy, estilista, casualidades, travecas

Ass: Gattaca

Se lhe fizerem uma pergunta idiota... # 3

“Entro no elevador de um prédio, no momento em que pára na garagem. Um senhor que já está dentro do elevador pergunta:

- Vai subir?

- Não, vou para os lados!!!!”

Ass Gattaca

Gift(ed) With Love

Já vos tinha contado que a minha relação com os Gift é um caso de amor. Ou se calhar não. Como todos os casos de amor, tem altos e baixos. Tanto gostei deles, que um dia obriguei-me a fazer uma pausa. Esqueci-me deles, os discos ficaram arrumados no cantinho... e descansei, porque as músicas dos Gift sempre me provocaram um turbilhão de emoções.
Conheço-os desde 1996 ou 97, desde Digital Atmosphere, desde um teatro escuro em Alcobaça, desde o tempo em que entravam com as pernas e os dedos a tremer em palco com fatos engomados.
Ontem, quando voltei ao São Luiz, não ia com grande coragem para os enfrentar. Era como encarar um ex-namorado, por quem se teve uma louca paixão, que caiu numa rotina e saturou. Mas este era mais um ponto importante na sua vida. Por isso, tinha mesmo de ir. E surpresa das surpresas: eu gostei, eu amei, eu apaixonei-me de novo por esta relação que me tem acompanhado nestes últimos sete anos e que me serviu de consolo para tantas outras "(des)paixões" e (des)ilusões. Ao som dos Gift passei altos e baixos, pessoas que vieram pessoas que foram e eles sempre ficaram.
"AM/FM" esteve nas minhas mãos uma semana antes de chegar às lojas... e eu não sabia o que lhe fazer. Levei-o para o carro. Fui ouvindo sem reacção. Fui cantarolando. Fui tentando identificar-me com o disco. Mas só ontem, ao vivo, ao reviver tudo o que estava esquecido no passado, se reacendeu a paixão pelos Gift. Vou tentar que seja mais comedida desta vez para não me fartar.
It's a question of love!

Beijos
Ziggy

The Gift

Ontem caí na realidade. E foi duro, mas chique. Estava num camarote do São Luiz a assistir ao concerto dos The Gift. Foi de cortar a respiração. O último tema interpretado por eles (bem em jeito de despedida depois do tradicional encore) foi a faixa escondida do “Am/Fm”. Sabia da existência desta faixa, mas nunca me tinha dado ao trabalho de a procurar. Também não vos digo onde está... Assim que cheguei a casa fui ouvi-la...
A canção é cantada em português e em palco (com uma decoração e efeitos de luz soberbos) apenas estavam a Sónia e o Nuno Gonçalves (o cabrão cada vez está mais bonito). E de repente começa a música... Um piano... E a magnifica voz da Sónia...

“Talvez por não saber, falar de cor,
Imaginei
Talvez por saber o que não será melhor,
Aproximei.

Meu corpo é o teu corpo, o desejo entregue a nós.
Sei lá eu o que queres dizer.
Despedir-me de ti;
Adeus, um dia voltarei a ser feliz.

Eu já não sei, se sei o que é sentir, o teu amor,
Não sei o que é sentir!
Se por falar, falei,
Pensei que se falasse era fácil entender...

Talvez por não saber, falar de cor,
Imaginei.
Triste é o virar de costas, o último adeus.
Sabe Deus, o que quero dizer.

Obrigado, por saberes cuidar de mim
Tratar de mim,
Olhar para mim,
Escutar quem sou.

E se ao menos tudo fosse igual a ti!

E...

Eu já não sei, se sei o que é sentir, o teu amor.
Não sei o que é sentir!
Se por falar, falei,
Pensei que se falasse era fácil entender...

É o amor.
Que chega ao fim.
Um final assim, assim, é mais fácil de entender....

Eu já não sei, se sei o que é sentir, o teu amor.
Não sei o que é sentir!
Se por falar, falei,
Pensei que se falasse era fácil entender...”

Foi um murro no estômago. Dei por mim a chorar baba e ranho, a tentar disfarçar as lágrimas que me saiam dos olhos. No mesmo camarote estava a Ziggy, o Xrl8 e uma amiga dele. Acho que ninguém se apercebeu.
Só sei que em 5 minutos fui obrigado a enfrentar a realidade da minha vida sentimental. Acabou-se! Esforcei-me! Errei, mas pensava que estava a fazer o correcto. “Se por falar, falei, pensei que se falasse era fácil entender...”.
Pelos vistos não...


Ass: Gattaca

segunda-feira, 6 de dezembro de 2004

i-unit...zzzzttttt vrrrummm

Amigos, assim sim!
Aí vou eu!!! Vrummmmmmmmmm! Saiam da frente!!!!
A novidade da Toyota!
Parece uma cadeirinha de rodas, mas não é!
Só fico com uma dúvida:
ONDE É QUE EU PONHO OS SACOS DAS COMPRAS??!?!?!?!

Beijos
Ziggy

domingo, 5 de dezembro de 2004

All I want for Christmas

Hoje entrei no espírito natalício!!! Até tirei os enfeites da árvore do armário para começar a decorar a casa. Tenho um pai natal na parede... e fui ver a árvore do Colombo e já tinha visto a do Jerónimos!
Já tenho 5 presentes.... Será possível, eu? Que costumo comprar tudo na última semana? O presentinho do Gattaca já está na árvore dele!
Mais ainda, fiz uma lista de nomes e presentes adequados. Ainda tenho dois presentes de aniversário para comprar. O tempo a mais dá-me para estas coisas.

E agora vou cantar "All I want for Christmas" - não, não é a canção da Mariah Carey, é aquela versão da banda sonora do Love Actually... é bem disposta.


I don't want a lot for Christmas
There's just one thing I need
I don't care about presents
Underneath the Christmas tree
I just want you for my own
More than you could ever know
Make my wish come true...
All I want for Christmas
Is you...

.................................................................................
Agora resta-me saber
Quem és tu...?
Será que o Pai Natal te pode deixar no meu sapatinho?
Tens telemóvel?
Posso ligar-te?
Quem sou eu?
De onde venho?
Para onde vou?

Ai! Hoje sou das que perguntam... credo! Tanta questão! Vou deixar a ordem cósmica baralhada!

Beijos
Ziggy

sábado, 4 de dezembro de 2004

Happy endings...

Os directores do vosso clube acabaram hoje de ver a sexta colecção de episódios do "Sexo e a Cidade".
(tenho uma lagrimita no canto do olho... e agora que vai ser de mim sem elas?!)

Mais um happy ending! Sem contar nenhum pormenor, para não estragar a surpresa a quem ainda não viu, posso apenas adiantar que acaba tudo arrumadinho no seu canto... e nós do lado de cá sentados com os olhos esbugalhados e pespegados na televisão sorrimos ao de leve ao ver que tudo acaba bem... e sem questões.

Mas nós ficámos com algumas questões:

- Como é possível...
... que Carrie meta tantos vestidos, casacos e respectivos acessórios em tão poucas malas?!
... que Carrie ande sempre linda e maravilhosa, com grandes decotes, num frio de rachar?
... que Carrie ande com saltos de oito centímetros a correr pelas ruas?
... que Carrie se encontre com alguém conhecido/amor da sua vida/salvador das garras do mal em Paris?
... que Carrie compre tanta roupa e sapatos de marcas de luxo sem estourar os plafonds dos cartões de crédito, sabendo que o rendimento de Carrie é curto?

e ... last but not least
... Porque é que só no último episódio descobrimos que o Big se chama John?

Mais um happy ending. I wonder how many more are yet to come...

Beijos
Ziggy

sexta-feira, 3 de dezembro de 2004

Thank God(s), it's friday!!!!


Beijos
Ziggy

Madrid me encanta!

E lá foram eles para Madrid passar uns dias... Os meus meninos Mindtrap e Gazuza pegaram nas malitas, roupitas e em alguns pequenos haveres e rumaram a Madrid, essa cidade louca!! E para muitos um óasis... (se eu contasse o que sei!!)

Aqui fica a minha pequena homenagem a estes dois moços e que lhes sirva de inspiração: uma foto especial das Portas Del Sol...



Vá... Portem-se bem nessa cidade pecaminosa... E agora falando sério, cuidado na estrada.

Ass: Gattaca
PS – Rapazes, não façam nada que eu também não fizesse...

Viva o VODKA!!!

Hoje no meu "passeio" pelos vários blogs e sites encontrei a seguinte foto...


Pois é!! Acho que acabei de colocar diversos sorrisos nas vossas caras.

De qualquer forma já conhecia esta foto, mas depois de ver todos os episódios da 6ª série (e última) do "Sexo e a Cidade" está foto torna-se mais familiar. Mais não conto. Vejam os episódios e prometo que não se arrependem nem um bocadinho. Prometo que um dia escrevo aqui algo sobre esta série fabulosa.

Eu já estou cheio de saudades da Carrie, Miranda, Charlotte e da Samantha... Haviam-me de ver a chorar quando Carrie se despede das amigas para ir viver para Paris!! Uma vergonha!!!

Ass: Gattaca

PS1 - Ouço a edição comemorativa dos 10 anos da edição do "So Get Up" dos Underground Sound of Lisbon!! QUERO IR DANÇAR!!!

PS2 - By the way, o vodka sempre foi a minha bebida de eleição. O Absolut então!!! Meu Deus, meu Deus!!!


quinta-feira, 2 de dezembro de 2004

Quero ser preto!!

Será que esta gente não envelhece? Vejam lá se sabem que é esta senhora...



É nada mais nada menos que a fabulosa Gloria Gaynor em 2004!!! Isso mesmo, aquela moça que quando surgiu a cantar o “I Will Survive” era assim...



Não ficou algo branca? Será que sofre da mesma doença de pele do nosso amigo Jackson? Olha ela aqui com o podre de bom Tom Ford (o ex-estilista da Gucci)



Lembrei-me desta senhora por causa de um texto escrito pelo Je_Bois no seu blog a propósito da Gala dos travecas. E fui pesquisar e vi estas fotos da diva. Vivam estas casualidades...

Ass: Gattaca

PS – Já agora espreitem www.gloriagaynor.com e riam-se...

quarta-feira, 1 de dezembro de 2004

360 graus

Nestes últimos meses, o mundo (ou o meu mundo) parece ter dado uma volta de 360º graus. Exactamente isso, não 180º, mas sim 360º, regressando tudo ao ponto de partida. Quase como se ganhassemos uma nova vida num jogo de computador, onde temos de começar todo o jogo de novo. Percorrer os mesmos caminhos, recolher os mesmos prémios, enfrentar os mesmos obstáculos... e prosseguir para o nível seguinte. Será uma lição da vida? Será pura coincidência? Ou simplesmente porque fomos talhados para viver em repeat?
Alguém me disse que a história nunca se repete. Mas na verdade, a história, está cheia de repetições, de plágios de si própria. Porque existe o conceito de dejá-vu? Talvez seja a explicação para as repetições conscientes ou inconscientes de acontecimentos. Tudo na vida é cíclico. Espero por mais uma volta, mais uma rodada para ser diferente desta, sabendo sempre que a este ponto de partida vou sempre regressar.

Beijos
Ziggy

terça-feira, 30 de novembro de 2004

Cansado

Estou cansado! Amanhã é feriado mas tenho de vir trabalhar para a rádio. Hoje quero ainda quero ir ao cinema ver o “The Incredibles” ao Monumental.
Amanhã quero acordar cedo, ir às compras de Natal, depois ir para o ginásio por volta das 12h30. Faço Total Condicionamento e depois Body Combat. Às 15h30 tenho de vir fazer emissão para a rádio até às 19h. E depois espero casota...
É giro que me vou obrigar a fazer tudo isto. Por mim ficava quieto em casa, tipo vegetal. Nem banho tomava e ficava quietinho. Não telefonava a ninguém, ficava em silêncio o dia todo...

Hoje falei com o JP pelo msn. Uma conversa surreal... Pelo menos ele desabafou e disse coisas que já devia ter dito há mais tempo. Numas tem razão noutras nem por isso. E ainda fiquei mais cansado... Não sei o que me apetece fazer.

É Natal e nem a luzes da rua fui ver. É giro como um simples acontecimento me cortou a euforia e a alegria toda deste Natal. Pode ser que as coisas mudem. Ou não!

Ass: Gattaca

PS - E garanto que com isto não me quero fazer de vítima ou mesmo Calimero, é apenas um desabafo.

Se lhe fizerem uma pergunta idiota... # 2

“Estou no balcão do cinema. A senhora pergunta-me:

- Quer um bilhete?

- Não, eu meti-me na fila só para ver onde isto ia dar...”

Ass: Gattaca

PS – Tal como a Ziggy, também tenho de pedir desculpa pela pouca atenção dada ao nosso blog. Mas para além do caos em que está a minha cabeça, também ando com trabalho até às orelhas. Prometo compensar os sócios numa outra oportunidade.

Piadinha do dia #7

“Um homem parou num semáforo. Logo de seguida aparece um pedinte de mão estendida e voz trémula:

- Por favor, pode dar-me umas moedinhas para eu comer uma sandes???

- Não!!! Já são sete da tarde, e depois não jantas!!!”


Ass: Gattaca

A águia

Mesmo com as reviravoltas que a minha vida deu... a águia do Benfica continua a olhar para mim. Desde que me mudei para esta zona da cidade que vejo a águia todos os dias. Agora só está um pouco mais longe e menos definida, mas entre computadores e montes de jornais consigo vê-la. A águia é como um lembrete da minha estabilidade emocional.
Subo e desço andares e vejo-o como o porto seguro. Até porque quando me vou embora passo sempre lá pertinho. Não é assim um coisa TÃO significante quanto isso, mas é único objecto familiar às minha viagens pelos vários andares. Confortante.
A vida não está assim também TÃO mal quanto isso. Se estivesse presa como aquela águia, se calhar era pior. Mas sinto que podia estar melhor. Àquelas pessoas que falharam promessas e deixaram penduradas esperanças, não tenho muito a dizer. Acho que é só desviar o olhar (e as emoções, e os rancores, e as pragas e tudo mais). Tudo o que vai, volta, what you give is what you get, por isso cada um pagará a conta justa.
Nem é tanto o facto de estar num novo (velho) ambiente, é mais o facto não me apetecer ter estas funções, assumir estes compromissos e saber que é por pouco tempo, mesmo sendo indeterminado. Para mim é tempo perdido. Serve talvez para ganhar calo no estômago, por ter de encarar pessoas que não quero ver nem pintadas de ouro, que só o som da voz me arrepia; para construir uma bolha de protecção.
Quanto a mim, olho para a águia, lembrando-me das vezes que lhe contei o que ia fazer nos dias seguintes, as emoções que guardava e o entusiasmo com que corriam os dias.
Agora só lhe posso contar que notícias chegam à linha. Ela ouve e agradece mesmo com o grau de desinteresse que nutre pelo dia-a-dia.

And i'll keep you posted... not post it!

Beijos
Ziggy


PS: sócios, peço desculpa pela falta de atenção, mas graças aos céus, os directores do vosso clube andam com a vida virada do avesso.

segunda-feira, 29 de novembro de 2004

Mais um fim-de-semana passou...

Este por acaso não trouxe grandes notícias. Mas pronto, nem todos podem ser bons e já devia saber isso!
Não me sinto com muita vontade de falar do que aconteceu. Apenas digo que foram 10 meses porreiros, mas que chegaram ao fim. Já devia saber como é que as coisas funcionam, mas pelos vistos não sei! Talvez seja esse um dos encantos das paixões e amores: por mais cabeçadas que a malta dê, no fundo no fundo nunca aprendemos. Mas como dizia o personagem principal do “2046”, não vale de nada encontrar a pessoa certa se o momento for o errado. Esta frase fez-me pensar muito e acho mesmo que as minhas relações são sempre marcadas pelo “wrong timming”. Daqui a uns tempos sei que vou olhar para o JP e ver nele e nos seu hábitos o que queria ver hoje. Paciência, mais um “wrong timming”

De resto montei a árvore de Natal lá em casa para delírio das gatas. Hoje quando acordei já tinha velas, bolas e todo o tipo de enfeites espalhados pela casa. Nem quero imaginar quando voltar. Já estou a ver a árvore estendida no chão ou mesmo as gatas a participarem activamento no presépio.

Fui também duas vezes ao ginásio e fui gastar dinheiro em DVDs (“Sexo e a Cidade Vol.6”, “Finding Nemo”, “Tróia” e as 3 primeiras séries do “Absolutamente Fabulosas”).

Os próximos tempos não se advinham nada simples ou mesmo fáceis. Certo certo é que temos de continuar a viver... São assim os 30!

Ass: Gattaca

PS1 – Odeio o álbum dos Magnetic Fields...
PS2 – Odeio os vírus informáticos. De 108 mensagens apenas duas eram válidas. O resto tudo vírus.

Pensamento do Dia

“Não façam dieta!!!

Afinal a baleia só bebe água, só come peixe, faz natação dia inteiro e é gorda!!!”

Ass: Gattaca

domingo, 28 de novembro de 2004

Saber ouvir

No nosso dia-a-dia, no corre-corre habitual, uns e outros acabam por não se ouvir. Por isso, as pessoas discutem, envolvem-se em mal-entendidos, separam-se, deixam de se falar, de se ver... de se ouvir.
Às vezes é preciso saber ouvir. Parar e ouvir o que têm para nos dizer. Há escutas que não têm respostas ou nem sequer as merecem. Mesmo assim é melhor ouvirmos.
Se nos despejarem em cima tudo que aconteceu durante o dia, a semana, o mês ou o ano, é quase um dever cívico escutarmos o próximo e, no mínimo, prestar-lhe alguma ajuda, se for necessário.
Tenho encontrado pessoas que ouvem... mas mais recentemente tenho-me deparado com personagens que não sabem ouvir. Creio que isto acontece porque no fim não sabem o que hão-de dizer, acham que tudo necessita de resposta.
Às vezes é preciso um silêncio. Saber ouvir. Saber digerir. No vácuo resolvem-se as reticências da vida.
Cala-te e ouve-me. Deixa-me falar até ao fim.

Beijos
Ziggy

sexta-feira, 26 de novembro de 2004

O Homem que diz adeus

"Era um homem de óculos. Estava sempre bem vestido. Normalmente, tinha uma gabardina no braço e tinha um cachecol pendurado no pescoço que lhe descia pelo colarinho do casaco. Tinha o cabelo branco, muito bem penteado. Tinha um sorriso.
À noite, estava na Avenida Fontes Pereira de Melo, no passeio do lado direito, para quem desce em direcção ao Marquês de Pombal, e quando os carros passavam, toda a gente sabia a razão por que ele estava ali e toda a gente lhe acenava e dizia adeus. Ele, com o cabelo branco, muito bem penteado, sorria e acenava, dizendo adeus a todos os carros.
Vais ver, um dia vamos falar de ti assim. Um dia passaremos de carro com os nossos filhos já crescidos e, num instante, olharemos para o teu lugar vazio, e lembrar-nos-emos das noites em que passávamos na avenida Fontes Pereira de Melo. E tu sorrias. E nós sorríamos. E dizias-nos adeus. E nós dizíamos-te adeus. E levávamos esse sorriso para as ruas do Bairro Alto. Entrávamos em bares, falávamos de nós, bebíamos qualquer coisa em copos de plástico e, mesmo quando não pensávamos em ti, mesmo quando nos esquecíamos de que naquele momento ainda estavas na Avenida Fontes Pereira de Melo, continuávamos com o sorriso que tinhas acendido no nosso rosto no instante em que nos acenaste. E havemos de dizer aos nossos filhos, sentados no banco de trás, que ficavas ali mesmo nas noites em que chovia. Com uma mão, seguravas o guarda-chuva. Com a outra mão, acenavas-nos, dizias-nos adeus.
Os nossos filhos talvez não consigam entender-nos quando lhes falarmos de ti; mas nós, garanto-te, levaremos ainda o sorriso que acendeste nos nossos rostos no instante em que nos acenaste."

de José Luís Peixoto

Eu conheço este senhor. Ainda passa as noites no Saldanha a acenar para as pessoas que passam. São pessoas como ele que me desarmam por completo e que me deixam com o coração apertado. Ele não é louco... Apenas gosta de dizer adeus...

Ass: Gattaca

Se lhe fizerem uma pergunta idiota... # 1

Fui ao banco para trocar um cheque...O senhor perguntou :

- Vai levar em dinheiro?

Respondi...

- Não!!!!! Dê-me antes em clips, borrachas, apara-lápis!!!

Ass: Gattaca

A sorte bateu-me à porta?

Não sei! Talvez. Pelo menos neste momento. Ia a passar na rua, que única e simplesmente estava iluminada pela luz da lua, já que os candeeiros não estavam acessos numa noite cerrada, e encontrei uma nota de 20 euros, quando ia a tentar desviar-me de uma bosta de cão.
Nunca tinha encontrado quantia tão avolumada.
Terá a nota caído de um qualquer bolso de uma peça de vestuário que estivesse pendurada no estendal? Talvez, estava ainda molhada.
No meu civismo e boa educação, pensei duas vezes. Olhei para os lados. Levo a nota? Oh, não a vou deixar aqui. Qualquer um a levaria sem a mínima hesitação. Eu não. Estive a pensar primeiro. Depois andei com a nota entalada entre a mão e a pega da canadiana. Fui andando devagar, pensando se seria sorte ou coincidência? Não quero abusar da sorte, mas o que são estes 20 euros no meio da minha meada de azares? OK, dá para comprar alguns presentes para os animais cá de casa e enchê-los de mimos!

Beijos
Ziggy, 20 euros mais rica!

quinta-feira, 25 de novembro de 2004

Ditados!

Ditado Masculino
" É melhor ser feio como o Ronaldo e comer a Daniela Cicarelli do que ser bonito como o Gianechinni e comer a Marilia Gabriela."

Ditado Feminino
"De que adianta ser bonita como a Daniela Cicarelli e dar para o Ronaldo? É melhor ter a cara da Marília Gabriela e dar para o Gianechini."

Moral da História
Os feios comem melhor!!!

Ass: Gattaca